Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

sábado, 19 de novembro de 2011

Quarentena forçada


Pois bem!


1-Por que estou em Jambom;
2-Por que meu pombo correio não mais voltou. Deve ter sido abatido por algum caçador...
3-Por que meu aparelho de telégrafo pifou;
4-Por que fiquei um tanto ilhado;
5-Vou tentar lhos enviar tal qual os peles vermelhas, uma mensagem via fumaça. Se o tempo ajudar, decifrar-lha-vos tão logo os ventos a faça chegar a vós amigos blogueiros.

Em virtude das circunstâncias acima citadas, por tempo indeterminado mais vos aporrinharei como comentários capciosos como diria Odorico. Também a Tribuna de Jambom ficará em stand by.

Para alívio e bem de todos diria o amado, estimado, idolatrado e tantos outros ...ados leitores destas mal traçadas linhas.

Tenho dito... E sempre!!!

P.S.: -Mas o ""teco"  virá consertar o telégrafo tão logo chegue as válvulas que está importando da ilha de Java.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Elton John- Empty Garden (Live 1999)

Elton John - Nikita

domingo, 13 de novembro de 2011

Arnaldo Jabor Motel com igreja

FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO - ARNALDO JABOR - A ESTUPIDEZ E O FANATISMO DO...

Arnaldo Jabor Igreja Católica Ser laico não é a mesma coisa que ser ...

Igreja Católica Arnaldo Jabor Bento XVI é burocrata e dogmático

Arnaldo Jabor mostra vídeos de corrupção no Brasil

Henrique Neto, Os partidos são um polvo

Henrique Neto, Os partidos são um polvo

Henrique Neto, Os partidos são um polvo

Respirando ar fresco


Hoje foi meu primeiro domingo free em Jambom depois de minha chegada e uma parada para descanço na Chancela Policial, digo... digo... no hotel para forasteiros...

Entrosamento


Caminhei por o centro da cidade em busca de um barbeiro. Precisava diminuir o tamanho do pêlo. Sai com meu anfitrião e amigo Pardal, o professor.

Trio


Em um banco de praça, um pequeno ajuntamento de curiosos que não passava de um apenas. Sabe como é né. Eu o professor e mais um dá três. Ninguém mais quis se ajuntar a nós. Mais um e a dupla Justino e Medrão poderia nos recolher novamente ao hotel sob a acusação de formação de quadrilha. Do lado dos comuns não pode haver reunião com mais de três. Só do lado dos puros.

Não vale o escrito


Conversa leve sobre os rumos da política e o assunto começa a fluir. A política aqui é levada a sério. Serio como o jogo do bicho. Aliás só não é tão seria como o tal expediente lúdico por que nele o bicheiro assegura que vale o que está escrito. Isso mesmo. Tá na poule e bateu, leva na certa. Já na política nem tudo que se diz e escreve tá valendo. A começar pelas leis. Esta é a dessemelhança.

O ingresso


Como meio de se adentrar no tal clube dos públicos e desinteressados todos são taxativos. De "A" a "X", passando por "P" todos asseguram que o único meio é a compra do sulfrágio. Um maluco discorda disso tudo. O representante da de Z. Isso mesmo somente a zebra acha que isso está totalmente errado. E dá as provas de tal assertiva. A desgraça social, cultural e econômica em que se encontra Jambom é crônica e secular. E aponta a causa. Chegam ao ponto de comprar no atacado. Dizem que é fechando negócio com a porteira fechada. Tem até guardião de curral. São umas espécies de capitães do mato jamboneses.

A grande bolsa eleitoral


Trocando em miúdos, apesar da diversidade política os rumos são ditados pelos do poder e os despoderados. Os despoderados acusam os poderados que se defendem como podem dizendo ser inveja de quem está por baixo. As várias ramificações dos despoderados dizem por aí, estão se ajuntando para tomar a  bastilha. Estratégias para tal. A mesma de sempre nestes quinhentos anos de história política de Jambom. A aquisição de consciência. Dizem que com cinquenta Jambos, unidade monentaria jambonenses se adquire facim facim uma. Se o cliente for um aletrado, com diploma ou especialização, doutorado ou coisa e tal, não entra dinheiro no negócio não. Apenas uma promessa de cargo ou emprego na intendencia, que também tudo se resolve. Dizem que a zebra acha isso uma imoralidade. Também penso assim.


Essas cabeças...


O povão, atoa e abestaiado, acha isso a coisa mais normal do mundo. Em época de plebiscito correm atrás de liteiras engolindo poeira feito serpente rastejante achando que sairá da ruína e Jambom se transforme no paraíso. Dia desses ouvi de uma abestaiado que conversava acalorado com outro amigo dele. Eu não estava na conversa mas devido ao calor da discussão e por se encontrar muito próximo da dupla, a seguinte pérola: "-O Jambo é público e por isso não é de ninguem. Quem tiver com a procuração que faça o que bem entender. Os que reclamam estão é com inveja! Confesso que não almocei de estõmago enjoado ao ouvir tanta merda. Também vindo de um cérebro atrofiado e adubado com titica de galinha não poderia ser outra coisa.

Simplesmente nojento!

Concentração para a largada


Estou ansioso para ver o início do novo circo, digo... digo... plebiscito. Não escapa ninguem. Do lado dos aspirantes, todos amam o povo que lhes outorga poder. Mas basta ter em mãos a tal procuração que a coisa muda. Cercas são erguidas, tramelas ão colocadas, acessos negados e por aí vai. O povão só sentirá cheiro de gente pura quatro anos depois. E estes trouxas não aprendem nunca a lição.

Resignação....

E por que eu choraminguei em ombro amigo hoje, eu ouvi a seguinte sentença: "-vida é difícil mas ninguém passa pelo que não deve..."

sábado, 12 de novembro de 2011

E tome "omenage"

Já se passara uma semana em Jambom. De tudo vi um pouco. Já deu para conhecer muito desta cultura e gente. Um fato interessante. Sou notícias por aqui. Desde que a Trombeta anunciou minha coluna diária por onde ando sou apontado. Uns olham com curiosidade, outros com desdém. Assim vou sendo visto. Surpreso fiquei ao ser anunciado que hoje sábado deveria commparecer quasse que simultaneamente à duas sonelidades "omenageatórias" como diria Odorico lá em sucupira. E advinha quem seria o homenageado? Adivinha só? Eu! Ah! Fiquei meio  sem graça. Sou novato por estas bandas e não mereço tanto. A associação do "puros" de sangue e de origens resolver depois de ter analisado todo meu passado me condecorar com  o Troféu Pau de Latra. Fiquei um tanto acanhado. Mas não fiz feio. Fui discretamente receber tal honraria. Procurei amenizar meu discurso e não tratar das picuinhas locais. Já o conselho dos "publicanos éticos" resolveu me homengear com o "Egg Trophy's baba". Claro que depois de um longo discursos contrário à politica do conselho eles resolveram suspender a premiação negando me entregarem fisicamente o tal troféu. Disseram que tinham se enganado. Eu não tinha o perfil nem muito menos era merecedor. Agradeci do mesmo jeito. É claro que não iria levar para a minha estante tal escultura. Atiraria na primeira lixeira que encontrasse de volta. Foi melhor assim. Não tem lixeiras mesmo.

Juiz é investigado após bater em filha e ter vídeo postado no Youtube

Juiz é investigado após bater em filha e ter vídeo postado no Youtube

Bem que poderíamos importar o ilustre magistrado para cuidar dos casos destas criancinhas mal criadas que vivem aprontando nas escolas e arrepiando os professores....

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Tudo Azul....

Hummmm!!!!

CORRUPÇÃO NO GOVERNO DO FHC E PSDB

MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO BH PSDB É O ALVO!

Denúncias de corrupção bilionária no Governo do PSDB paulista

Leve a sério as brincadeiras...

O florista foi ao barbeiro para cortar seu cabelo.
Após o corte perguntou ao barbeiro o valor do serviço e o barbeiro respondeu: - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana. O florista ficou feliz e foi embora.
 

No dia seguinte, ao abrir a barbearia,
havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e uma nota de agradecimento do florista.
 

Mais tarde no mesmo dia veio um padeiro para cortar o cabelo. Após o corte, ao pagar, o barbeiro disse: - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.
O padeiro ficou feliz e foi embora.
 

No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um cesto com pães e doces na porta e uma nota de agradecimento do padeiro.
 

Naquele terceiro dia veio um deputado para um corte de cabelo. Novamente, ao pedir para pagar, o barbeiro disse: - Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana. O deputado ficou feliz e foi embora. 

No dia seguinte, quando o barbeiro veio abrir sua barbearia, havia uma dúzia de deputados fazendo fila para cortar cabelo.
 

Essa é a diferença entre os cidadãos e os políticos.

"Os políticos e as fraldas devem ser trocados frequentemente e pela mesma razão."

(Eça de Queiróz)

 
  NA PRÓXIMA ELEIÇÃO TROQUE UM LADRÃO POR UM CIDADÃO. CAMPANHA PRÓ-FAXINA NOS PARLAMENTOS.

E por que meu anfitrião....

e mais novo amigo tinha conversado bastante comigo sobre as personalidades locais me sinto na obrigação de pôlos à parte de tão garboso elenco...


Eis ai para deleite de nossos telespectadores em primeira mão a tal lista.

Elenco em desordem analfabética:

-Demóstenes...............Alcaide
-Bentes...................O major
-Cassi....................Play
-Jones....................Boy
-Flamel...................Zebra
-Mudinho..................Conselheiro da Palavra
-Surdo....................Guarda de Trânsito
-Justino..................Conselheiro da Ordem Social
-Medrão...................Conselheiro da Segurança Nacional
-Jegue do Tonhão..........Conselheiro do Saber e Cultura
-Chicão do Bacará.........Conselheiro do Isporti
-Perdulário Compulsivo....Conselheiro da moeda
-Barbeiro Zé Navalha......Conselheiro da higiene pessoal
-Inácio...................Conselheiro teológico de bom coração
-Bento....................Conselheiro teológico
-Togão....................Tribuno de Têmis
-Marília..................Moça casadoira
-Di Dirceu................Aletrado
-Zebra....................Aventureiro
-Estrela..................Prostituído
-Bandeira.................Seguidor de Estrela que espia pro poder
-Oráculo..................Só horáculo mermo


Se falta o antídoto mas sobra capim...


Li no blogue coreausiara:

(...)

Aluna Tenta Ferir com Estilete Diretor de Escola em Aquiraz
  "Mais uma cena de violência foi protagonizada em uma escola cereanse. Desta vez, o palco foi a escola municipal Plácido Castelo, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza. Uma adolescente de 14 anos tentou ferir com um estilete o diretor da unidade. Segundo a direção,  a escola vinha  realizando um trabalho de disciplina por conta de alguns alunos apresentarem comportamento  violento. O diretor recebeu uma carta com ameaças. Ele chamou uma aluna, que possivelmente seria a autora da carta, para conversar e tentar resolver o assunto. A estudante se exaltou e puxou um estilete, tentando ferir o diretor. Um professor presenciou a cena e interviu.
  A guarda municipal e policiais do Ronda do Quarteirão foram acionados. O caso foi levado para a delegacia do Eusébio. Neste momento, a adolescente está prestando depoimento."
(Redação TV Diário)

  DO BLOGUE: Todo dia tem um caso. Esté o de hoje... Até quando, não se sabe!

(...)

Pois bem: E por que eu estava residindo em Camocim faz uns cinco anos e por não ter nada o que fazer a noitinha me punha a conversar com uns poucos amigos e conhecidos que lá residiam...

Pois bem 2: E por que a gente se aprende um tantinho diariamente....

Pois bem 3: Principalmente quando nos juntamos aos mais experientes...

Pois bem 4: Eu ouvi de um parente que lá se estabeleceu há muito tempos...

Pois bem 5: Uma grande verdade...

Pois bem 6: Disse ele certa vez, e eu ri mas também concordei, quando falávamos sobre os "desembestos" desta juventude abestaiada o seguinte: "-Manezim.... Jumento que não dá pra sela, a gente põe para carroça...  

Pois bem 7: É preciso urgentemente abolir do ambiente escolar esta tal de pedagogia  que alisa burrego coiceador...

Pois bem 8: Para mim escola deveria ser um laboratório de empurrar conhecimento guela abaixo como "rórró" fazia com os perús de engorda, oficina de recall para todos os  seres merdinha que se acham donos do pedaços mas são a praga da sociedade e em último caso e em último caso laboratório de tratamento a ferro e fogo dessas anomailias sociais que só contribuem para o crescismento de uma sociedade já doente e que precisa urgentemente de um remédio ultra amargo...

Pois bem 9: Vou dizer mais nada não, senão eu digo tudo que penso e a coisa via f%d#r...

Pois bem 10: ....

Pois bem 11 ....

Pois bem 12 ...

Pois bem 13: Agora é que não falo mesmo....

""""

""""

""""

Pois bem 50: Só a zebra é a solução!!!!


Tenho dito.... E sempre!!!


--
Que Deus seja, minha e sua proteção sempre!!!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

E por que a vida não dever ser somente de chorôrô...

Vamos  rir um pouco com o grande artista alencarino Marcondes Falcão Maia

MAIS ANTES MAMÃE NÃO TIVESSE ME(N)TIDO - FALCÃO

MAIS ANTES MAMÃE NÃO TIVESSE ME(N)TIDO - FALCÃO

A BESTEIRA É A BASE DA SABEDORIA - FALCÃO

NÃO TEM JEITO QUE DÊ JEITO - FALCÃO

AS BONITAS QUE ME PERDOEM, MAS A FEIURA É DE LASCAR - FALCÃO

Falcão - Holiday foi Muito

Terceira epístola de Manepa aos sucupiranos e a quem mais interessar.

Por que estava depois de dois dias em pleno repouso era hora de levantar. Novo desenrolar dos acontecimentos se abriam à frente. Era preciso levar ao conhecimento dos meus amados, estimados, idolatrados e tantos outros ....ados leitores desta mal traçadas linhas...

Boa noite sucupiranos,


Depois de dois dias sem nada a fazer, (dizia o carcereiro, ou melhor o chefe de recepção, que era para um descanso), e consequentemente sem novidades para vós apresentar, eis que neste final de tarde sou convidado a deixar meus aposentos. Me devolveram os poucos pertences com os quais aqui cheguei, e disseram que estava livre. Poderia ir aonde quisesse. Estranhei o fato, não de estar gostando das instalações rústicas mas por neste exato momento em pleno início de noite não saber para onde ir. Ao indagar para onde eu iria o carcereiro foi taxativo:
-Vá-se à pu!@ que o p@r#u ou à casa do c@r#lho!
Diante de tanta gentilza nem tive coragem de lhe incomodar para mais nada. Dei de ombros como quem concorda e saí caminhando devagarinho pelas ruas desertas e empeiradas de Jambom. Estou um tanto sem rumo. Mas... Deus proverá!

Contactando com o povo. Agora sim pra valer.


Alguns de min se aproximam. Apesar de pouco ter sido visto, muito já se falam a meu respeito. Sou novidade. Me aproximo de um grupo de senhores que dialogam silenciosamente em uma praça maltratada  em busca de amizades, companhia para uma conversa e quem sabe um teto para pousar esta cabeça rude que teima em apimentar o ego inflamado de Cassy.


Não sou muito bem recebido no clube...


Busco conversar com o tal grupo. Mas eles me ignoram. Alguns um tanto assustado baixam a cabeça como a querer fugir de mim. Ainda não consegui entender tamanha ojeriza. Um dos senhores perdeu um pouco da timidez e falou:
-Diga lá forasteiro! Tá gostando daqui?
Aquela  frase apesar de seca foi um grande lenitivo para as angústias de um ser rodeado de gente mas incomunicável.
-Mais ou menos... Respondí acanhado, mas ao mesmo tempo alegre. Tinha quebrado o gelo. Como que os outros não levassem adiante a conversação o tal senhor convidou-me a sentar com ele em banco reservado. Aceitei sem maiores delongas. Iria arrancar alguma coisa para minha sobrevivência alí. No mínimo o pernoite.

Uma boa entrevista.


O tal senhor que me convidara à conversa é professor do Liceu de Jambom. Diz estar animado com o provável sucesso de seu preparatório Madureza para os alunos que aspiram admissão ao ginasial. Divido com ela a alegria a ponto de ganhar confiança e me convidar a pernoitar em sua casa. Diz ele: Lá podemos conversar mais profundamente sobre as principais e mais urgentes questões de interesse local.

Pouso digno.


Convite aceito chegamos em um quartel de hora em casa modesta mais familiar e aconchegante. Às primeiras apresentações sinto uma nova luz em Jambom. Os membros me acolhem com simpatia, respeito e alegria. Sinto ser bem vindo ao seio daquela família. Parecem que advinham o quando me roe por dentro os estômago. Sou convidado a sentar em mesa não tão farta mas generosa e a saborear uma sopa leve que caiu com um bom lenitivo sobre a dor que corroía um bucho vazio que nos últimos dias tinha ingerido apenas angu. -Que "bença"!

"No problem!"


Diante do avançado da noite o nobre professor diz está disposto me aceitar em sua simples casa contanto que ajude nas custas... Não tinha recebido proposta mais interessante. Caiu do céu. Naquela hora éra o que eu mais precisava. De confiança!

O elenco...


E por ter aceitado a resposta e sabendo que dias e mais dias de conversa iríamos viver meu anfitrião levou-me a um aposento simples onde iria pernoitar. A primeira de uma séria de longas noites. Disse ainda que na próxima noite me daria um breve relato sobre as principais figuras e um pouco mais sobre  as normas comportamentais em Jambom. Era por assim dizer uma excelente aula de sobrevivência em Jambom. -Agora sim! Pensei eu. Isso é que é intercâmbio. Acertando vários coelhos com uma pedrada só.
-Vou descrever os principais nomes de Jambom! Disse meu anfrião. Será necessário que conheças cada um detalhadamente. Já que vais agora palpitar no periódico A trombeta de Jambom, isso será de suma importância para que desenvolva seu ofício com qualidade e destreza. Mas somente amanhã. O avançado da noite exige repouso. Arrematou o meu primeiro e verdadeiro amigo nesta terra. Espero eu que seja... Até amanhã.

domingo, 6 de novembro de 2011

GONZAGÃO & GONZAGUINHA PENSE' NEU

Que belo up grade!

Isso mesmo amigos navegantes e leitores. Tomara que não seja fogo de palha. O novo foco desta nada democrática tribuna resultou em pelo menos números. Para quem vinha capengando como diz meu nobre colega blogueiro João Teles, como uma média de duas visitas diárias, de ontem para cá o mesmo deu um pulo de quase duzentos bisbilhoteiros. E isso é muito bom. Agradecido desde já a todos os envolvidos na divulgação, em especial o já citado João e o colega R Moura. Se acanhe não amigo leitor. Baixe sua âncora diariamente neste mar não tão calmo porém não tão agitado. Gostando ou não coloque em seus favoritos e dê uma espiadinha vez em quando. Há! Não esqueça de divulgar entre sua rede de relacionamento. Aproveitando o momento muitos vídeos para reflexão e análise sobre nós mesmos. Boa semana de trabalho a todos e vamos adiante que o passado é presente está em marcha alta e se não agirmos atropelará o futuro... Tenho dito... E sempre!!!

CHARGE - O Rap da Corrupção

Corrupção Política

Vídeo sobre corrupção 6ªE -

Como combater a corrupção no Brasil

Corrupção

Dicró - O Político

POLITICOS CORRUPTOS

Corrupção

O que está acontecendo com o mundo?

Sua vida ta ruim ?

Foto que chocou o mundo

FOME NO MUNDO

Fome na Africa

Desperdicio de Alimentos

Por falta de criatividade para escrever...

Posto para os amigos leitores e navegantes uma sequência de vídeos que devem ser assistidos por todos indistintamente.  Se for político pode ser que reflita um pouquinho mais sobre suas ações e se for eleitor pode ser que desista de vender o voto para qualquer outorgando poder para pessoas sem preparo, sem  ética e sem escrúpulos e passe a votar em pessoas mais comprometidas com a coletividade. E não adianta dizer que A é melhor que B, que é melhor que C. comprou voto não é por que não presta e assim sendo, não serve para governar os destinos de um povo.

Tenho dito... E sempre!!!

Ah! Ía me esquecendo. Eleitor que se propõe a vender o seu voto é pior do que todos os políticos corruptos juntos. É a mais fértil semente que faz nascer o maior mal público em uma naçao. Corrupção. Eu escrevi: C-O-R-R-U-P-Ç-Ã-O!

Políticos na Suécia: sem luxos e sem mordomias.

Parlamento sueco dá exemplo de transparência

Lula falando sobre a Rede Globo.avi

Políticos Corruptos

Coreaú, minha velha palma!!!

Jô Soares desabafa contra a Globo - Troféu Imprensa 87

Direito de Resposta concedido a Leonel Brizola contra a Rede Globo.avi

Chico Buarque - Cálice - Clip Ditadura

Segunda epístola de Manepa aos sucupiranos

Meu segundo dia em Jambom


Bom dia Jamboneses e sucupiranos também. Se até o termino destas mal traçadas linhas meu pombo correio voltar de sucupira vocês leitores desta nada democrática tribuna demojambonense tribuna irão ficar informados de como andam as coisas por aqui. Ou pelo menos com se encontra este humilde correspondente que aspira ao cargo de escriba mor do reino de Jambom, já que não alcançaste o mesmo em Bruzundanga, muito menos em Sucupira. Acordei cedinho às cinco da manhã. Não me levantei devido a não poder me deslocar para um raio maior geograficamente falando.

O carcereiro, digo... digo... o chefe de recepção da instituição que aqui chamam hospedagem para forasteiros, aventureiros e também pessoas que chegam em busca de intercambio, veio até meus aposentos serviu-me uma tigela de angu de puba. Um sabor de agridoce me fez lembrar as primeiras mamadeiras com leite de cabra que tomava no pé da Penaduba a quarenta anos atras. Disse ele que era o café e o almoço. Tudo junto, pois além de já ser um tanto tarde Jambom vive uma escacês de víveres e é preciso racionar alimentos.

Disse ele que estão estudando meu pedido de asilo e que em breve terei resposta. Se positiva poderei deixar a carceragem digo... digo..., o hotel e transitar por toda Jambom, inclusive me inscrever para trabalhar na Trombeta de Jambom que é o diário de notícias locais impresso nas oficinas de tipografia oficiais. Se negativa me deportarão novamente à sucupira escoltado é lógico pelos melhores agentes da guarda civil real. Acho que estou ficando importante. Tenho guarda costas de sangue azul. Cuidado para não ficar vaidoso Mané?

Saboreei meu café almoço e já me ponho a rabiscar minha segunda epístola. Talvez ela até nem chegue aos vossos olhos. Queira Deus que meu emissário voador retorne o mais breve possível e me ache aqui pois só assim poderei lhos enviar notícias de terra tão exótica.

Ouço um batido de asas, como que um pássaro médio a pousar nas árvores ali fora. Que pena não poder ir lá ver. Bate novamente! Terá ido embora?
Não foi! Muito pelo contrário, pousou mansamente feito um jumbo 747 sob o comando de um exímio piloto. E o que é melhor, na grade alta de minha cela, ou melhor, suite presidencial, foi isso que disseram quando lá me hospedei. Era o danado de meu pombo correio. Veio mansinho, fez o reconhecimento de área e de amigo e como já acostumado a tal rotina, estendeu-me a pata como quem diz. Vai! Amarra logo este pergaminho que preciso retornar.

Dito e feito. Se lento e enfrentando fortes correnes de ar ele se encontra a caminho neste exato momento, se rápido voces já estarão lendo isto aqui. Só espero que em breve estejam lendo minha missiva. Isso se não for abatido por alguma cassador faminto no caminho. As leis de proteção aos animais aqui não são tão eficazes ainda.

Tenho dito... E sempre!!!

Metralhadora giratória

E por que o amigo blogueiro tinha feito um comentário sobre a barulheira como se comportam em seus templos os crentes de todos os credos inclusive agora os da ICAR em 01/04/2007 eu fui lá e pá!

[manepa@ibest.com.br] [Manuel de Jesus]
1. Templos empresas e empresas templos, de todas os segmentos religiosos, abarrotados de criaturas incautas e ignorantes, feitos manadas seguindo rudemente a matilha matreira, gritando o nome de DEUS (em vão é claro) como se o Mesmo fosse surdo. Não sabem estes coitados que o verdadeiro encontro com o Criador se dá na mais perfeita reclusão, principalmente se for de seu lar, meditando em silencio, numa comunhão sincera de filho para pai e nada mais.


-E tome pá! -01/04/2007 19:01
[manepa@ibest.com.br] [Manuel de Jesus]
2. Não sabem estas humildes criaturas, que todos estes “representantes” de Deus a quem cegamente os seguem, cuja oratória e gestos artificialísimos, eu disse, AR-TI-FI-CI-A-LI-SI-MOS não estão nem aí seja para com Deus quanto mais para as humildes ovelhas que os seguem. Estão sim, preocupados é com a “$anta” contríbuição dada pelos fiéis, para usufruto e aquisição de fortunas pessoais, as manchetes estão ai para quem quiser ler, ver e ouvir; e que o nome de Deus citados em seus rituais é somente um artifício para se fazerem acreditados.

E mais... pá! pa! - 01/04/2007 19:00
[manepa@ibest.com.br] [Manuel de Jesus]
3. Que o verdadeiro representante de Deus aqui na terra quando por aqui esteve há dois mil anos, semeou sementes de humildade, desapego pelas coisas materiais, amor ao próximo, perdão às falhas dos outros e tantas outras boas coisas mais; ações estas, totalmente inversas das praticadas por estes atuais pseudos representantes Divinos aqui na terra nos dias atuais. -Acorda minha gente!!! 4. Esperimente fazer uma crítica ao seu guru religioso e veja a sua (dele) reação, veja se combina com os ensinamentos do verdadeiro Filho do Altíssimo. Veja o estilo de vida do mesmo.

Pá! pa! pa! - 01/04/2007 18:58
[manepa@ibest.com.br] [Manuel de Jesus]
Observe se existe alguma semelhança com a vida do Cristo. Todos, e aqui mais uma vez é preciso soletrar TO-DOS, com raras exceções estão como dizem os versos do apocalípse, embriagados pela vaidade e poder financeiro, vestidos de púrpura. Nota-se pelo andado, pelos gestos, pela pose, pelas companhias com as quais se acompanham (geralmente pessoas ricas e influentes) pelas palavras, etc. etc. o ar de superioridade e importância dos mesmos. E os atos da vida privada que aliás não é da conta de ninguém, no entanto... -“Vixi minino!!!”, diria róró. Nem toque neste assunto qí é pecado e voce irá pro infrno. Róró achava que ia pro inferno era quem comentava e eu sempre achei que era quem cometia. E voce caro leitor? O Que acha desse enigma. Vai quem “Co-menta” ou quem “Co-mete”? Vamos à enquete dê sua sublime opinião, tome coragem ergua a “cabeça” e olhe que o substantivo aqui é abstrato e não concreto, refiro-me ao pensamento, as idéias etc..

ENTRANDO NA PAUTA - 23/09/2007 08:43 AM


MANUEL DE JESUS, SOBRE EDUARDO CAMPOS, O MANUELITO (como era conhecido): "Grande falta fazem sobre a terra pessoas com essas qualidades, quando as mesmas parte para o plano celestial. Mesmo vivendo no quase anonimato, como é o caso deste e de outros mais. Que pena, que a grande mídia e a imprensa mercenárias, só mostrem e dêem destaque aos grandes, na mediocridade e na beleza física, sejam homens ou mulheres. Figuras como este ilustre e muitos outros, salvo os que com eles conviveram, nós meros mortais só os conhecemos através da nota de falecimento. Este país precisa dar mais destaque às figuras cultas, pensadoras que muito têm a contribuir para a melhoria social, política e cultural de nossa gente."

Escrito por coreausiara às 13h07




Duas grandes figuras desta nação sucupirana. Inclusive na política...

Posso até vir a me decepcionar, espero que isso não aconteça.

A primeira sessão de torutura

Corria o início do ano de 2007, mas precisamente mês de março e este escriba que vos fala, ou melhor escreve, recebeu e-mail do Dr. Fernando Deda, convidando a fazer uma visitinha ao recém lançado blogue do professor João Teles de Aguiar. Sabe aquele costume das comadres visitarem os recém-nascidos da outra recém-parida. Foi nos mesmo moldes. Visita cheia de alegria e prazer no entanto meio tímida. Silenciosa. Diria a comadre. Sabe como é para não incomodar, não fazer zoada. Se bem que o aqui, motivo da visita não se incomodaria com nenhum tipo de barulho, muito pelo contrário penso eu, mas...


“-Ora não me venha com churumelas e lenga-lenga”, diria o impaciente leitor. Aquele que aprecia textos pequenos. “-Crave logo seus caninos afiados na jugular e deite a presa, pequeno fariseu. Tempo é ouro e suas enrolações não me prendem a esta leitura cansativa.”

-Queira amansar amado publicano. Procurarei ser breve apesar da extensão do assunto. Se não vejamos: Como a comadre que dá logo opinião... “-Que coisa linda! Benza Deus! É a cara do pai!!!” Não é assim que elas se dirigem à criança na frente da mãe? Também imprimi ali o meu pitaco. Não fui tão mentiroso como as comadres. Fui sincero, falei o que pensava mesmo correndo o risco de não agradar ao compadre. Mas falei... E continuei falando. Vez por outra agradava, vez por outra não, mas falei tanto que nesta semana de descanso e em férias resolvi contabilizar os louros da falácia. Percorri toda extensão deste diário desde o seu nascimento até os dias de hoje e colhi todas minhas inserções. Sabe o que trouxe para casa? Como diria o comboieiro; uns quatro surrões de palavras. Palavras estas, sábias para uns poucos, acintosas para a grande maioria, e merecedoras de punição severa quiçá pena capital para alguns outros. Viva a democracia! Viva a liberdade de imprensa! Somente assim, estes últimos não porão as mãos sobre mim. Pelo menos sob às vistas cegas, e, como são cegas, as vistas da lei. Podem até o fazerem. Mas terão que o fazer sob as sombras obscuras da clandestinidade. Tomara que não o façam. Mas voltando aos surrões de palavras são mais de cem páginas entre comentários e outros artigos mais.

“-Tá é pensando em ser escritor não é seu filho dumá ég...! Transformar tudo isso em mais um livro para não ser lido, e sim comido pelas traças nas estantes dos pseudos intelectuais”, dirá algum amigo da onça ao ler estas mal traçadas linhas.

-Sabe que é uma boa idéia. Para ser sincero acho que pensei nisso mesmo. Mas isso não é lindo é uma outra, longa e talvez incompletável história...

-Ora não bastasse querer ser professor, foi ganhando terreno se acha agora jornalista graças ao golpe do supremo nesta classe de profissionais e agora quer ser escritor.

-De jeito “niun” Pode desistir desse idéia besta, dirão os que acham minhas palavras acintosas.

-Tudo bem caro amigo. Ponderarei sob seu pensamento. Mas... voltando ao apanhado de coisas, como é interessante. Lá encontrei erros ortográficos dos mais banais que até um aluno de pré escolar não os cometeriam aos que até os mais aletrados teriam lá suas dúvidas... De concordância, de regência e outros mais. Sei até que tudo isso é motivo para me fazerem desistir da idéia de tal publicação. Tens razões de sobra estimados amigos e “amigos” Mas sabe como é. Não foi só burrice não, a causa dos erros lá cometidos. Sabe como é... A pressa em fazê-los em espaço de tempo muitas vezes apertado também o são. Ao ler um tópico daqueles, nos municiamos de emoções e de lá mesmo mandamos o “jucá” impensadamente. É aí que o bicho, ou melhor, a gramática te pega. Corrigi-los é minha primeira tarefa, que será com certeza pesada. Mas fá-lo-ei, nem que demore um tempão. Se os amigos aletrados como diria “rórró” a preconceituosa e racista, quiserem me ajudar estarei de braços abertos. Poderemos separar o joio do trigo e fazer um bom apanhado. Não tenho muita pressa. A luta continua. Afinal ainda é preciso chegar aos cem mil acessos. Como o cronômetro corre. Lembro de passagem interessante onde comemorávamos os primeiros dez mil visitantes. -Agora este número é bem maior. Não é mesmo? É sim amado leitor. E você é parte desta história. Às vezes borrada mais é... Não se apoquente. O borrão é culpa minha... Reconheço minhas faltas...

P.S.: Isto foi posto lá em 23.02.2010 - E o João chegava com sua página aos 100.000 acessos. Parabens cabôcô! - Neste ramo não ganhamos muita coisa não. Mas nos divirtimos prá preá! Digo digo... prá daná!

Tenho dito... E sempre!!!

O preá da penaduba!

E por que o novo blogue começou ser visitado. O João postou alguma matéria citando nomes ilustres que visitavam e opinavam em seu blogue. Eis aí uma referencia a um parlamentar que se tornou visitante na época. Em seguida uma referência a este humilda aspirante a escriba mor da tribuna. Só agora depois de tantos anos é que entendo por que querem me comer. "Perai" "cabôcô véi" que eu sou espada! Ah! Foi por que ele me comparou com um preá. Tá explicado o mal entendido.


Comentários do João na época.

DR. GUARACY

E o ex-deputado estadual Guaracy Aguiar, de Cedro, entrou pra nossa "família". Já enviou dois comentários para o nosso espaço. Bem-vindo !
Quem está de volta também é o compadre Manchão, lá da divina Coreaú. Um abraço.

E quem está no batente direto é o Manuel de Jesus, que tem fôlego de preá.
Escrito por coreausiara às 08h24 de 29.05.2007

Bumerangue:

-manepa@ibest.com.br [Manuel de Jesus]
Para viver, combater e sair quase ileso de um sistema desses, só mesmo com folego de preá...

Túnel do tempo...

E por que era início de 2007, e eu tinha recebido um convite do colega e parente Fernando Machado meu amigo Dr. Deda, para fazer uma visitinha à recém nascida e democratica tribuna Coreausiara, fui lá de já dei um pitaco. Na época a mesma se encontrava no endereço www.jt-aguiar.zip.net . E não deu outra. Gostei do choro da menina. E não pense que cantei uma cantiga de ninar para acalentar a mesma não, (onde já se viu, "cabôcô" parido no pé da penaduba e que bebeu água do olho d'água de mesmo nome cantar estas frescuras? ) Dei-lhe foi algumas palmadas e a fíz chorar e chorar aos olhos do paí que a tudo assistiu por todos estes anos e que mesmo em algumas oportunidades não gostando jamais me censurou por tais feitos. Ao que me parece o sádico muitas vezes até gostou... Tentei colocar algumas coisa aqui mas saiu tudo bagunçado... Desisti. Pelo menos por enquanto. Valeu a intenção.

sábado, 5 de novembro de 2011

Roda viva

O ano era 1967. Eu me preparava para aterrissar no planeta terra. O Chico Buarque cantava no festival da Record. Que beleza!!!

1800 Visitas apenas

Em dois longos e suados anos de vida.... O assunto apesar de importante não atraia visitantes... Pode ser que agora que aborda coisas não tão importante o velocímetro resolva girar....

Aos desavisados e que ainda não me leram nos blogues dos colegas João Teles e Romildo Moura, não levem tão na brincadeira as coisas sérias.... Tenho dito... E sempre!!!

Novo rumo para o antigo e pouco visitado blogue do manepa...



Êia!!! Caros amigos.... e caros inimigos também... Depois de dois anos na berlinda, abordando assuntos de tão pouco interresse, esta nada democrática tribuna muda o foco dos informes. Não abandonando por completo sua linha editorial que era unica e  exclusivamente tecnologia de informática, agora abordará também, política e sociedade. Atendendo um esperado convite de Afonso Henriques de Lima Barreto se não diariamente semanalmente, se não semanalmente mensalmente se não mensalmente anualmente estaremos pitacando aqui os acontecimentos em Jambom.Perdendo um pouquinho de seu tempo por aqui, o amigo leitor poderá até não ficar informado, mas com certeza mandará embora o mal humor. Tenho dito... E sempre!!!

Intinerário...




Olá amigos leitores e navegantes... Estou em trânsito para Jambom. Navegando também. A viagem será longa e cansativa. Trecho a cavalo, trecho à pé, trecho em canoa e só finalmente nos dois últimos quilômetros antes da chegada ao meu novo domicílio jornalístico e eleitoral é que vou adentrar em uma maria fumaça. Dizem os boateiros que estão preparando uma grande recepção para seu novo morador. Espero que não exagerem. Sabem como é né? Não sou tão vaidoso. Aproveito este momento de cobertura do satélite para lhos enviar os primeiros informes desta nova jornada.

Abraço a todos.

Manuel Mané Manepa

A chegada...




Olá amigos! Depois de longa e cansativa jornada enfrentando selva, alagadiços, poeira, sol, chuva e picadas de insetos acho que estou chegando a Jambom. Noto que a velocidade da maria fumaça apesar de baixa está diminuindo a ponto de quase parar. Devemos está chegando à estação. Alguns minutos e estarei pisando em solo jambonense.

Pisei...




E devido a uma casca de banana quase caio. Mas tudo bem aprendi a me equilibrar...

Primeiros contatos com os nativos...



Estão alegres à minha espera uma meia dúzia de nativos. Sou novidade por aqui.  Me olham de cima abaixo muito curiosos. As crianças que são um tanto quanto espontâneas não demonstram tanta cerimônia assim e já se aproximam a ponto de tocar minha vestimenta. As cores apesar de discretas são novidades... Acho que vou ser bem tratado por eles. Demonstram simpatia e aparentam serem corteses....

A formalização...




Depois dos primeiros contatos informais com a população meia dúzia de senhores sisudos se aproximaram de mim e ordenaram que eu lhes acompanhasse até o palácio do reino... Acho que vai começar o rega bofe oficial... Tomara que não sirvam o peixe panga... De tanto comer por aqui sem saber a procedência da iguaria já estou me sentindo enfastiado... Mas se servirem alegarei estar fazendo dieta...


O Contato oficial...




Adentrei ao grande salão imperial... Apesar da simplicidade e das necessidades básicas e de infraestrutura serem coisas notórias ao redor das aldeias dos nativos, aqui nas instalações oficiais tudo é muito luxuoso o que contrasta e muito com o modo de viver desta gente que ainda precisa evoluir cientificamente, socialmente e politicamente. A um sinal de sua majestade que eu não soube compreender, apesar de ter procurado saber o máximo dos costumes daqui para não passar vexames, um agende da guarda imperial sussurrou em meu ouvido transmitindo o seu significado: “-Oh seu filho duma égua!!! O rei quer que você se curve diante de seu trono...”
Com uma gentileza dessas me senti na obrigação de não contrariá-lo, e, de joelhos beijei seu anel...
-Puta que pariu!!! Pensei... Mil vezes melhor ter ficado escrevendo sobre culinária ou sobre etiqueta social na tribuna de sucupira... Mas fazer o quê né? Não vou arregar... É bem possível que depois ele se esqueça de mim e me deixe em paz...

A biografia.




Então o conselheiro da palavra, abriu um grande pergaminho e leu em voz alta toda minha biografia... Os demais se entreolharam com ar de sarcasmo... Aí o rei chamou de lado o superconselheiro da lei ordem e segurança nacional, cochichou-lhe ao ouvido, me olhou meio que sem graça e deu por encerrada a cerimônia de boas vinda ao novo ilustre morador de Jambom...

Despachando...




Como tinha acabado a cerimônia todos foram saindo. Eu que meio perdido sem saber onde procurar uma hospedaria procurei sair a toa ao que fui novamente ordenado pelos chefes da segurança de que deveria acompanhá-los.

Novo lar...



Chegamos em um prédio não muito zelado de paredes sujas. Adentrei a uma sala escura com meus poucos pertences e procurei atendente para fazer minha ficha.
-Não precisa. Sua ficha já está pronta. Respondeu o escrivão...
-Que eficiência!!! Pensei...
Me fizeram uma revista completa... Pediram para eu trocar de roupas. Realmente as que eu vestia estavam imundas de suor e poeira... Agradeci...
Recolheram todos meus documentos e arquivaram em uma passa volumosa. Diziam que era o meu dossier e que tudo lá estaria muito bem guardado... Não questionei...

O traje...


O traje apesar de confortável e por que não apertava meu corpo esbelto era um tanto estranho... As estampas simples não combinavam muito com meu gosto pessoal: Branco com listras horizontais pretas e tinha a inscrição Nº 50. Não fosse pelo número eu estava igualzinho a uma Zebra... Arre Égua!!! O quê que vai ser de mim? Pensei. Como já estava tarde e por demais cansado deitei no chão frio de minha cela. Imaginei acordar refeito das energias gastas e saber que aquilo não passara de um sonho. Só faltava dia seguinte me tirarem da cela e me porem uma sela...  Aí sim, de sonho a coisa iria se tornar um pesadelo...

Vou dormir...

Apesar De Você
Chico Buarque

Amanhã vai ser outro dia
Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão
Viu?
Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão
Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar
Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Esse samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
De "desinventar"
Você vai pagar, e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar
Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
E esse dia há de vir
Antes do que você pensa
Apesar de você
Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente
Apesar de você
Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia
Você vai se dar mal, etc e tal
La, laiá, la laiá, la laiá

Aqui o anfitrião

Novo segmento para o antigo e pouco visitado blogue

Êia!!! Caros amigos.... e caros inimigos também... Depois de dois anos na berlinda, abordando assuntos de tão pouco interresse, esta nada democrática tribuna muda o foco dos informes. Não abandonando por completo sua linha editorial que era unica e  exclusivamente tecnologia de informática, agora abordará também, política e sociedade. Atendendo um esperado convite de Afonso Henriques de Lima Barreto se não diariamente semanalmente, se não semanalmente mensalmente se não mensalmente anualmente estaremos pitacando aqui os acontecimentos em Jambom.Perdendo um pouquinho de seu tempo por aqui, o amigo leitor poderá até não ficar informado, mas com certeza mandará embora o mal humor. Tenho dito... E sempre!!!