Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

segunda-feira, 30 de abril de 2012

A LAMBADA DO REI - MESTRE VIEIRA E MESTRE CURICA

domingo, 29 de abril de 2012

Voltando às origens...

Do blog é claro. Olá amigos leitores desta nada democrática tribuna. Dando uma de Alamar este post é apenas uma pequena orientação sobre como o consumidor comum deve se comportar diante principalmente da aquisição de equipamentos eletrônicos portáteis.

Pois bem: A rotatividade como os fabricantes substituem modelos é assustadora e isso pode gerar prejuízos para nós meros mortais alimentadores deste processo capitalista, desumano e predador.

Pois bem 2: Um exemplo disso é muitas vezes a falta de suporte operacional para o funcionamento dos mesmos, em outros casos é a falta de suprimentos no mercado e esta é ainda pior, já que a primeira pode ser suprida por um garimpador  high-tech.

Pois bem 3: Tenho um exceleten scanner TCE S-550, adquirido em 2001, portanto a mais de uma década.

Pois bem 4: Fisicamente seu hardware está perfeito. Eu disse fisícamente, porque...

Pois bem 5: Logicamente ele não me serve para nada...

Pois bem 6: Explicar-lhos-ei agorinha mesmo...

Pois bem 7: É que o software que o faz funcionar não foi adapatado para funcionar com os Sistemas operacionais atuais. Na época Windows 98 e Linux Madrake... Hoje não existe compatibilidade de aplicativos daquela época com os atuais, nem tampouco compatibilidade entre os mais variados hardwares...

Pois bem 8: É como se um carro fabricado em 2001 mesmo em perfeito estado de conservação mecânica não funcionasse com gasolina de 2012... Entenderam?

Pois bem 9: É aí que entra o meu alerta aos incautos consumidores de produtos eletrônicos em geral.

Pois bem 10: Então meu scanner mesmo fisicamente perfeito e podendo funcionar não o faz por que os aplicativos atuais não o reconhecem... Estou no mato sem cachorro e o fabricante não está nem aí para minha sofrida economia doméstica. Eu que adquira um equipamento moderno.

Pois bem 11: E o que é pior: Nem recebe o meu antigo em troca de um bônus, contribuindo ainda mais para o incremento da poluição ambiental...

-Ora, ora, deixe de enrolação profano escriba e vá logo direto ao assunto...
-Calma amado, estimado, idolatrado e tantos outros ....ados leitores destas mal traçadas linhas... Calma... calminha.... calmazinha.... Calmou?

Pois bem 12: Um fato semelhante vem acontecendo nos últimos dois anos e muitos nem se deram conta. No meu meio de introsamento social já alertei a muita gente, se o alerta funcionou a história é outra.

-E o quê vos alertastes "ó profeta do bem"?  Indagará o mais antipático leitor destas agora bem traçadas linhas.

Pois bem 13: "Câmeras fotogŕaficas digitais"  Isso mesmo. Você que pensa em adquirir uma dê preferência àquelas que ainda funcionam a pilhas.

-Mas eu pensei que as que funcionam a pilhas  estavam era ultrapassadas....

Pois bem 14: Esta é a impressão que os fabricantes querem passar ao consumidor...

Pois bem 15: Mas...

Pois bem 16: Eu disse maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaassssssssssssss....

Pois bem 17: Imagina o seguinte: Estas pilhas AA amarelinhas ou recarregáveis estão no mercado desde a época que o pelé jogava futebol. 






Pois bem 18: E o que é melhor. São recarregáveis (mas e as baterias também não o são?) e substituíveis...

Pois bem 19: Já as baterias não seguem um padrão, e basta que o fabricante mude o tamanho do slot e deixe de fabricar a mesma para sua máquina ficar obsoleta, melhor dizendo, imprestável.

Pois bem 20: E para o resto da vida. Mesmo estando fisicamente perfeita. Deixará de funcionar simplesmente por que não existirá mais o combustível adequado à mesma...

Pois bem 21: Lembram do início do post. É que a ganancia do mercado quer que você compre outro modelo, muitas vezes novo só na carcaça, já que o miolo como diz o matuto é muito menos robusto que o antigo. Só assim o capital devora....

Pois bem 22: É aí que os fabricantes deixam de pensar no coletivo para pensarem em si somente...

Pois bem 23: E que se dane o povo e o meio ambiente:


Tenho dito... E sempre!!!





sábado, 28 de abril de 2012

Ubuntu 12.04 - Precise Pangolin

Disponível para download desde quinta-feita 26 de abril a nova versão do sistema operacional Linux Ubuntu, versão 12.04 de codnome Precise Pangolin, nos supreente a cada click.  É um espetáculo de segurança e robustez. Roda suave feito uma ferrari em auto estrada alemã. Interface tão amigavel quanto o sistema operacional "X'Piracted", não deixa a desejar em nada ao mais exigente usuário de computador. Unity aperfeiçoado. Ele já estava disponível desde a versão 11.04, passando pela 11.10. Não tinha me familiarizado com a mesma, mas por ser o futuro das interface resolvi usá-la e abusá-la para poder fazer um justo juízo da mesma. 










Aos interessados em conhecer esta preciosidade, segue o link para download:


http://www.ubuntu-br.org/

Convite do face book

Como dizia Sirano naquele sucesso musical da década de noventa: Nani nani nani... Passaste toda a semana dando um duro danado... Ao longo dela é claro que em algumas vezes se irritastes com algo, talvez até chamando algum palavraõ... Hoje sábado com certeza foste ao seu templo religioso, comungar com seu deus e se redimir....Mas isso acontece semanalmente não é mesmo amado, estimado, idolatrado e tantos outros ....ados leitor destas agora bem traçadas linas... Tudo se repete nun circulo vircioso. Peca e se redime, peca e se redime... Hoje estão todos purificados não é mesmo? Então que tal começar os pecados da semana lendo a página do descaminho? Eis aí a estrada reta, deixe de ingenuidade achando que é melhor andar pela vereda espinhenta. Let's go friends: http://colunistadejambom.blogspot.com.br/
 
 
 
www.colunistadejambom.blogspot.com
Um blogue criado exclusivamente para abordagens de temas referentes a tecnologia da informação e as mais variadas distribuições do sistema operacional linux. Ah! esqueça tudo isso. Em virtude do mesmo nao dar a devida audiência em dois anos de vida e em Jambom ainda estármos na era da máquina de dat...

Li no blogue coreausiara:


(...)
RESISTÊNCIA NO ARAQUÉM
   No Araquém das décadas de 60 e 70 existiu um núcleo de resistência à política arenista (militar). Vivenciamos esse período, como observadores, e claro, não vamos declinar nomes aqui, por falta de autorização das figuras envolvidas. Uma delas, inclusive já é falecida! Quando ninguém sabia o que era ou queria saber o que era Mobebra, esse senhores faziam a resistência. Uma dessas pessoas, inclusive, não só não perdiam a voz do Brasil, como expunha o rádio na calçada, como se tivesse o propósito de fazer com que as pessoas ouvissem o programa. Naquele época era tudo muito difícil! Como defender aquelas ideias numa vila ainda muito despolitizada? Esse dois senhores pagaram um preço por isso, claro! Estará arrependido o que ainda está vivo!? Creio que não...

(...)


Pois bem: Quem boa memória tiver, e naquela época já tinha um olhar mais clínico sobre as coisas e tem mais de quarenta janeiros nas costa lembrará, não somente da célula de resistência do Araquem, como também do Riacho Fundo, e principalmente de Coreau.

Pois bem 2: Os 'modebas" da época me fazem lembrar dos petistas da década de oitenta e noventa...

Pois bem 3: Com um diferencial:

Pois bem 4: Os petistas chegaram ao poder em vários pontos do Brasil a fora inclusive ao mais alto cargo da Nação...

Pois bem 5: Mas infelizmente muitos meteram os pés pelas mão e se misturam com o lixo da política brasileira...

Pois bem 6: Para averiguar isso basta buscar na igreja de são "google" os milagres dos danados...

Pois bem 7: Mas voltando aos "modebas" de sessenta e oitenta...

Pois bem 8: Onde estão seus descendentes?

Pois bem 9: Infelizmente muitos resolveram se enlamear também...

Pois bem 10: E não ficou ninguém para salvar o barco da politica brasileira que fazendo água jaz uns cinco séculos, afunda e leva esta nação de trabalhadores que bancam esta corja de... (aqui o adjetivo é o amigo leitor quem escolhe)

Pois bem 11: Só a zebra é a solução....

Tenho dito... E sempre!!!

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Os sonhos e as certezas dos Mervais


Pergunto aos meus reflexivos botões qual seria no Brasil o significado de opinião pública. Logo garantem que não se chama Merval Pereira, ou Dora Kramer, ou Miriam Leitão. Etc. etc. São inúmeros os jornalistas nativos que falam em nome dela, a qual, no entanto, não deixa de ser misteriosa entidade, ou nem tão misteriosa, segundo os botões.


A questão se reveste de extraordinária complexidade. Até que ponto é pública a opinião de quem lê os editorialões, ou confia nas elucubrações de Veja? Digo, algo representativo do pensamento médio da nação em peso? Ocorre-me recordar Edmar Bacha, quando definia o País -como Belíndia, pouco de Bélgica, muito de Índia. À época, houve quem louvasse a inteligência do economista. Ao revisitá-la hoje, sinto a definição equivocada.


Os nossos privilegiados não se parecem com a maioria dos cidadãos belgas. A Bélgica vale-se da presença de uma burguesia autêntica, culta e naturalmente refinada. Trata-se de tetranetos da Revolução Francesa. Só para ser entendido pelos frequentadores do Shopping Cidade Jardim em São Paulo: não costumam levar garrafas de vinho célebre aos restaurantes, acondicionadas em bolsas de couro relampejante, para ter certeza de uma noite feliz. Até ontem, antes do jantar encharcavam-se em uísque.


Em contrapartida, a minoria indiana, sabe das coisas e leu os livros. Já a maioria, só se parece com a nossa apenas em certos índices de pobreza, relativa ou absoluta. No mais, é infelicitada por conflitos, até hoje insanáveis, étnicos e religiosos. Nada de Bélgica, tampouco de Índia. Nem por isso, a diferença, ainda brutal, existe entre brasileiros ricos e pobres, embora desde o governo Lula tenha aumentado o número de remediados.


O Brasil figura entre os primeiros na classificação da má distribuição de renda, pecha mundial. Na semana passada, CartaCapital publicou ampla reportagem de capa sobre vários índices do nosso atraso, a mostrar que crescimento não é desenvolvimento. De fato, o Brasil sempre teve largas condições de ser um paraíso terrestre, como vaticinava Americo Vespucci, e não foi porque faltou o comando de quem quisesse e soubesse chegar lá. Sobrou espaço para os predadores, ou seja, aqueles que, como dizia Raymundo Faoro, querem “um país de 20 milhões de habitantes e uma democracia sem povo”.


A opinião pública que os Mervais, Doras e Mirians da vida acreditam personificar, é no máximo, na melhor das hipóteses para eles, a dos seus leitores. Há outra, necessariamente, daqueles que não se abeberam a essas fontes, e muitos sequer têm acesso à escrita. Votam, contudo, e são convocados pelas pesquisas de opinião. À pressão midiática, que ignoram por completo, preferem optar por Lula e Dilma Rousseff. Temos de levar a sério esta específica e majoritária opinião pública claramente expressa e, em termos práticos, mais determinante que a outra.


A opinião pública que a mídia nativa pretende personificar já condenou o chamado mensalão e decidiu os destinos da CPI do Cachoeira. A opinião pública da maioria está noutra. O resultado do confronto há de ser procurado nas pesquisas e nas eleições, é o que soletram meus botões. Eles são exigentes e me forçam a um exame de consciência. Por que as circunstâncias me levam à referência frequente a mídia nativa? Acontece que a mídia é, sim, personificação da minoria. Aquela do deixa como está para ver como fica.


A mesma que conspirou contra Getúlio democraticamente eleito e contra a eleição de Juscelino. Ou que apoiou Jânio Quadros em 1960, tentou evitar Jango Goulart depois da renúncia e enfim implorou o golpe perpetrado pelos gendarmes fardados em 1964, e o golpe dentro do golpe em 1968. A mesma que desrespeitou o anseio popular por eleições diretas em 1984 e engendrou uma dita redemocratização, de todo patética, em 1985, e hoje ainda dá uma de galo no papel impresso e no vídeo. Será que a rapaziada se dá conta do que está a acontecer de verdade?


A mídia nativa, é fácil demonstrar, na sua certeza de representar a opinião pública do País todo pratica aquilo que definiria como jornalismo onírico. Neste mister, o Estadão de quinta 26 supera-se. Estampa na primeira página que a presidenta Dilma mente ao afirmar, ao cabo de um longo encontro com Lula em Brasília, a ausência de diferenças entre ela e seu mentor. A presidenta responde obviamente a uma pergunta e diz: “Não há diferenças entre nós e nunca haverá”. Então por que perguntam se estão certos de que seu sonho é a própria verdade?


Mino Carta
 
P.S.: e-mail recebido do Etim Meneses, que não é o imortal número dois, mas o herdeiro de uma das mais bucólicas residências de Coreau. Plantada em um quateirão no Centro da cidade de frente para o Sul, fica entre o atual prédio da agência do Banco do Brasil e a residência da dona Zilmar. Que ela permanceça lá por toda a posteridade.

Recebi do imortal número três, texto que se segue:


Olá companheiro,

mandando texto para seu blogue. Bem simples, mas é o tipo de coisa que não me convém deixar em branco.
Atenciosamente,


"COISAS QUE A GENTE VÊ E PENSA POR AÍ...

Caminhava sobre uma calçada no Centro de Sobral, há pouco mais de uma semana, lá pelas sete da noite. A maior parte dos comércios já encerrava o período de atendimento. Ao passar por uma loja de decoração, não pude deixar de ouvir (em razão do alto volume) um trecho da conversa entre dois de seus vendedores:
- Eles espalham tudo, é um horror! Ninguém sabe como tirá-los daqui...
Ao olhar adiante, enquanto seguia às passadas, reparo um homem e um menino (creio que pai e filho) com roupas esfarrapadas, rostos escorridos, peles queimadas, expressão tímida e corpos extremamente esguios, catando folhetos de propaganda, pedaços de papelão e demais papéis no chão e nas lixeiras (por sinal poucas em Sobral), certamente para vender aos recicladores e ganhar algumas moedas de saldo. Fico me perguntando onde anda a ética das pessoas: ao invés de se solidarizar com seres humanos em estado de extrema miséria, repugnam-nos; preferem mais varrê-los para longe, tal qual o lixo que catam!"

Benedito Gomes Rodrigues
Graduando em Psicologia (UFC)

Raimundo Soldado: não tem jeito que dê jeito

Velocímetro em queda livre....

Não basta ler, caríssimos leitores. Divulguem entre os amigos, nas rodas de cerveja, cachaça, fofocas e tudo quanto seja lugar. Sua indicação é valiosa!

Chegamos por vezes ao pico de quase 90 acessos diários, mas nestes últimos dias a queda foi significativa... ontem não chegamos aos quarenta...

Grato

"Enxovalhando" a sexta feira com uma música que o povo gosta de ouvir...

E porquê o Maranhão não produziu somente "sarneys" e para compensar tudo nasceu naquelas terras que também pariu o grande poeta Gonçalves Dias, um grande ícone da musica povão. Sucesso na década de oitenta, embalou corações apaixonados Brasil a fora. Raimundo Teles Carvalho é o nome da fera, mas conhecido no meio da boemia poupular com Raimundo Soldado...

Fiquemos com o clipe musical abaixo e também no cabeçalho deste blog e preparem o gogó para a marvada descer suave. Ah" Cuidado para não engasgar com o caroço da siriguela!

Tenho dito... E sempre!!!

Raimundo Soldado não tem jeito que dê jeito

Verdadeira compaixão


 Quando resolveu contar histórias para crianças em hospitais, como voluntário da associação Viva e deixe viver, aquele desembargador teve de superar a si mesmo.
No dia escolhido para seu turno, na ala de queimados de um grande hospital de São Paulo, ele colocou seu nariz de palhaço, ajeitou seu avental colorido e enfrentou a forte visão das crianças com queimaduras.
Foi um grande choque. Porém, em poucos minutos, ele já estava solto.
Sabia que sua maneira de exercitar a compaixão ali era dar alegria a quem estava mergulhado no sofrimento.
O que ele não podia, naquele momento, era sentir dó, piedade, peninha. Por isso riu e arrancou muitos sorrisos, com as histórias que contou.
Foi um verdadeiro sucesso. Quando estava quase saindo, sentiu um puxão no seu avental. Era um menino de uns cinco anos, com o rosto quase totalmente envolto por bandagens e esparadrapos.
O garoto fez um sinal para o desembargador se inclinar e disse bem baixinho no seu ouvido: Tio, pode não parecer, mas eu estou rindo...
Aí não teve jeito, algo se desmanchou em seu coração. Percebeu que ele se tornou mais terno, mais terno, e perdeu um pouco sua carapaça habitual de dureza.
Como não preenchê-lo de amor por aquela criança vivendo condições tão difíceis?
*   *   *
O sentimento da compaixão é mesmo um transbordamento amoroso. Como as lágrimas, que rolam dos olhos por causa da emoção, ela transborda diretamente do coração, só que em direção ao mundo.
Quando sentimos pena, olhamos de cima para baixo, evitando o envolvimento com a situação ou com o outro.
Quando vivemos a compaixão, olhamos de lado, de dentro e nos sentimos responsáveis, comprometidos com o outro.
A verdadeira compaixão tem por base o raciocínio de que todo ser humano tem o desejo inato de ser feliz e de superar o sofrimento, exatamente como nós.                    
E, exatamente como nós, o outro tem o direito de realizar essa aspiração fundamental.
O filósofo André Comte Sponville esclarece que compartilhar o sofrimento do outro não é aprová-lo nem compartilhar suas razões, boas ou más, para sofrer.
É recusar-se a considerar um sofrimento, qualquer que seja, como um fato indiferente. E um ser vivo, qualquer que seja, como coisa.
Os grandes missionários da Terra, aqueles que se dedicaram ao próximo de forma intensa, foram grandes exemplos dessa compaixão, pois não cederam à indiferença.
Não suportaram ver o sofrimento alheio sem fazer nada a respeito e se atiraram a tarefas grandiosas de abnegação e coragem pelo mundo.
A compaixão é dinâmica, atuante e vibrante.
Eis mais uma virtude que podemos aprender. Mais um tesouro escondido na alma que precisa ser descoberto.
*   *   *   
Deixai que o vosso coração se enterneça ante o espetáculo das misérias e dos sofrimentos dos vossos semelhantes.
Vossas lágrimas são um bálsamo que lhes derramais nas feridas e, quando, por bondosa simpatia, chegais a lhes proporcionar a esperança e a resignação, que encanto não experimentais!
   
 Redação do Momento Espírita, com base em matéria de autoria de Liane Alves, da revista Vida simples, de novembro de 2007 e no cap. Compaixão, do livro Pequeno tratado das grandes virtudes, de André Comte Sponville, ed. Martins Fontes.
Em 25.04.2012.
A  Federação Espírita do Paraná é detentora dos direitos patrimoniais de uso e gozo da marca nominativa MOMENTO ESPÍRITA, conforme  a Lei de Propriedade Industrial nº 9279/96). As mensagens do Momento Espírita também estão disponíveis em cd's e livros, em www.livrariamundoespirita.com.br.



quarta-feira, 25 de abril de 2012

Um gênio da cultura nordestina...

http://www.jessierquirino.com.br/

Nalva Aguiar canta "Dia de formatura" no Terra da Padroeira

COMO EXPLICAR PARA O SEU FILHO, COMO ELE NASCEU EM LINGUAGEM ATUAL!!!

Pois bem: Os tempos mudaram: Nada de cegonha e outras firulas mais. A história agora é outra. Foi para se adequar aos tempos HighTech










Do mesmo conhecido que perde o amigo mas não a piada eu recebí:

Dê uma olhada no tamanho da família, a dieta alimentar de cada país, a disponibilidade de alimentos e a despesa com comida, em 1 semana. 
 
1 - Alemanha: Família Melander de Bargteheide.
Despesa com alimentação em 1 semana: 375.39 Euros / $500.07 dólares


2 - Estados Unidos da América: Família Revis da Carolina do Norte
Despesa com alimentação em 1 semana: $341.98 dolares



3 - Italia: Família Manzo da Secília
Despesa com alimentação em 1 semana: 214.36 Euros /  $260.11 dolares



4 - México: Família Casales de Cuernavaca
Despesa com alimentação em 1 semana: 1,862.78 Pesos / $189.09 dólares



5 - Polónia: Família Sobczynscy de Konstancin-Jeziorna
Despesa com alimentação em 1 semana: 582.48 Zlotys / $151.27 dólares



6 - Egito: Família Ahmed  do Cairo
Despesa com alimentação em 1 semana: 387.85 Egyptian Pounds / $68.53 dólares



7 - Equador: Família Ayme de Tingo
Despesa com alimentação em 1 semana: $31.55 dólares



8 - Butão: Família Namgay da vila de Shingkhey
Despesa com alimentação em 1 semana: 224.93 ngultrum / $5.03 dólares


9 - Chade: Família Aboubakar do campo de refugiados de Breidjing
Despesa com alimentação por semana: 685 Francos / $1.23 dólares
 

Dá pra pensar né?  Mais do que pensar... dá para refletir e também dividir...
 
Tenho dito... E sempre!!!


Recebí de um conhecido que perde o amigo mas não a piada...

Uma freira estava andando pela rua quando de repente uma loira lhe ofereceu carona.
Muito agradecida, ela aceitou e entrou no carro. Uma reluzente Ferrari vermelha com estofado de couro. A irmã comentou:
- Que belo carro a senhora tem! Deve ter trabalhado ardentemente para tê-lo comprado, não é mesmo?
- Não foi bem assim não, Irmã! Na verdade eu ganhei de um empresário que dormiu comigo por um tempo!
A freira não diz nada. Então ela olha para o banco traseiro e vê um belo casaco de vison...
- O seu casaco de peles é muito bonito! Deve ter custado uma fortuna, hein?
- Na verdade não me custou muito. Ganhei por causa de algumas noites que eu passei com um jogador de futebol.
Então a freira não falou mais nada durante toda a viagem.
Chegando ao convento ela foi pro quarto e de repente alguém bate na porta.
- Quem é?
- Sou eu! O Padre Osvaldo....
- Vai prá puta que pariu! Você e suas balinhas de hortelã!!! 


P.S.: Será que irei "praquele" lugar que os "bons" tanto temem por ter publicado tal insanidade?

P.S. 2: Tomara que não!!! 




Frase de um pecuarista mineiro, e philósofo tambem:

"Bom seria se, um deputado pegasse febre aftosa. Aí seríamos obrigados a sacrificar todo o rebanho!"


Pois bem: Essa é digna de correr o mundo... ou pelo menos o Brasil

Tenho dito... E sempre!!!

Os 10 rasantes mais impressionantes de todos os tempos

Já quase uma quarentona e ainda encanta...

Isso mesmo amado, estimado, idolatrado e tantos outros ....ados leitor destas agora bem traçadas linhas. Falo da estação de passageiros de ônibus interrurbanos de Fortaleza.  Com o nome oficial de TERMINAL RODOVIÁRIO ENGENHEIRO JOÃO THOMÉ. fora construído no ano de 1973, em estilho ultra arrojado para época. Seus pilares grandiosos que dão sustentação à cobertura em blocos formando gigantescas taças de concreto em forma quadrangular e na relação um bloco para cada pilar são até hoje pelo menos para este humilde apreciador da arquitetura moderna, um simbolo de robustêz e beleza impar.  

Ainda me "alembro": ... ano de 1974, quando pela primeira vez botei os pés sujos de "caboco" matuto no chão daquele monumento espetacular...  Tinha apenas seis janeiros e a grandiosidade da capital me impunha encanto, espanto e principalmente medo... Aquele oceano de gente, fuscas, DKW, kombis, ônibus e caminhões pararecia querer engolir o matuto medroso e acanhado da época... 

Neste tempo também tive o meu primeiro contato com a violência urbana. Não na qualidade de agente passivo, muito menos ativo, apenas observador. Vi e ouvi pela primeira vez uma Rádio Patrulha policial com sua sirene estridente em plena seis horas da manha adentrando à vila em que me encontrava alojado como diz o matuto. Foi numa travessa entre as ruas São Paulo e Senador Alencar, em zona limítrofe dos bairros Centro e Jacarecanga...

-Ora deixe de embromação escriba mor sucupirano, não estou interessado em suas reminiscência pueris. Volte ao tema central que sobre ele eu até estava gostando...

Pois bem: Até hoje não fora feito nada ou quase nada que supere tamanho feito. Os jornais da época testemunharam:

Pois bem 2:

(...)

RODOVIÁRIA JÁ EM ATRASO
Data: 01/03/1973 - Fonte: Jornal Correio do Ceará, p. 01
Com atraso de 20 minutos, para atender retardatários desavisados, um ônibus da Viação Nordeste deixou o Terminal Rodoviário Engenheiro João Tomé as 5h 40min. De ontem inaugurando a fase experimental de funcionamento da Rodoviária de Fortaleza .
O Terminal construído pelo DAER, com investimento de 9 milhões de cruzeiros, é considerado um dos mais modernos do país, tendo sido projetado por arquitetos cearenses para atender ao fluxo de veículos interurbanos de nossa capital até o ano 2.000. Inicialmente a Estação terá um movimento diário de 160 a 200 veículos, que utilizarão as doze plataformas de embarques já instalados

fonte: http://bancodedados.cepimar.org.br/bdceara/principal.php
(...)

Pois bem 3: Apenas outra edificação pública por sinal, conquistou admiração  em menor escala emocional é claro à este escriba. Trata-se do edifício Palácio da Abolição.

Pois bem 4: Mas como estamos aqui a falar da gigantesca obra do arquiteto Marrocos Aragão, que tal encerrar a contenda com imagens atuais do bucólico ambiente.

Detalhe do Pilar sustentando a taça

 Plataformas em embarque de passageiros

 Plataformas de embarque de passageiros


P.S.: Imagens apenas ilustrativas. Sem pretenção comercial e publicitária de marcas e ou produtos.

A balsa

Na História da Humanidade encontramos acontecimentos que nos levam a profundas reflexões.
Em 1816, uma fragata francesa encalhou próxima à costa do Marrocos. Não havia número suficiente de botes salva-vidas. Os restos do navio foram a única balsa que manteve vivas cento e quarenta e nove pessoas.
A tempestade as arrastou ao mar aberto por mais de vinte e sete dias sem rumo.
A dramática experiência dos sobreviventes impressionou a um artista. Theodoro Gericault realizou um estudo substancial dos detalhes para produzir a pintura.
Ele entrevistou os sobreviventes, os enfermos e, inclusive, viu os mortos. Horrorizado, reproduziu a íntima realidade humana nessa situação.
Seu quadro, intitulado A balsa de Medusa, retrata não somente o naufrágio do navio A Medusa, ocorrido no dia dois de julho de 1816, mas um acontecimento que comoveu a França e trouxe repercussões que tocaram o mais profundo da alma humana.
Na pintura, pode-se ver as diferentes atitudes humanas que se manifestam nos momentos cruciais da vida.
Alguns dos sobreviventes se apresentam deitados, em total abandono, sem reação alguma. Parecem simplesmente aguardar a morte inevitável.
Outros se mostram desesperançados, alheios aos demais. O olhar distante, perdido no vazio, demonstra que perderam a vontade de viver e de lutar.
Um punhado deles, no entanto, mantém a esperança acima de tudo. Tiram do corpo as próprias camisas e as agitam com força, fixando um ponto no horizonte, como se desejassem ser vistos por alguma embarcação, por alguém.
O curioso, entretanto, é que embora eles estejam balançando as vestes brancas, não há nenhum navio à vista. Nada que indique que eles serão resgatados.
*   *   *
A balsa é como o planeta Terra. Os tripulantes são a Humanidade e as atitudes que cada um toma diante da vida.
Podemos ser como os desesperançados, quando atravessamos situações difíceis e nos decidimos a simplesmente nos entregar sem luta alguma.
Podemos estar enquadrados entre aqueles que acreditam que não há solução e, assim, também não há porque se esforçar para melhorar o estado de coisas.
Podemos também ser os que duvidamos de tudo e de todos. Ou, finalmente, ser aqueles que mantemos a esperança acima de tudo, esforçando-nos para chegar à vitória, embora ela pareça estar muito, muito distante.
Afinal, decidir pela vitória em toda circunstância que a vida nos coloca é atitude de esperança.
*   *   *
Quando os problemas se multiplicam no norte da vida e os desafios ameaçam pelo sul, as dificuldades surgem pelo leste e os perigos se multiplicam no oeste, a esperança surge e resolve a situação.
Mensageira de Deus, torna-se companheira predileta da criatura humana, a serviço do bem.
É a esperança que, ante os quadros da guerra, conclama ao trabalho e à paz.
Em meio ao inverno rigoroso, inspira coragem e aponta a estação primaveril que, logo mais explodirá em cor, perfume e beleza.
Nunca se afaste da esperança!
 
Redação do Momento Espírita, a partir do texto A balsa, de autoria
desconhecida e pensamentos do cap. 19 do livro
Perfis
da vida, pelo Espírito Guaracy Paraná Vieira, psicografia de
Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Em 24.04.2012.
Fonte: www.momento.com.br

terça-feira, 24 de abril de 2012

SBT Brasil - Um jogo na internet faz crianças procurarem tratamento psic...

Alguem abriu o zipper hoje...

Calma! calma! calminha!

É só o ziper do Google...

Quem não abriu ainda da tempo...

Imortais HighTech....

Um momento singular neste inicio de noite de 24 de abril de 2012. Depois de pouco tempo de fundação, os três imortais da Academia Palmentse de Letras APL, até o presente momento, Manuel de Jesus (Epa!), Francisco Eliton Albuquerque Meneses e Benedito Gomes Rodrigues, se encontram em reunião* para o "xá" da terça. É a primeira reunião depois da criação da mesma e também a primeira depois do ingresso do novo imortal.

Na pauta, os rumos da edição comemorativa do "The New Coreau Arre Égua Times, que neste mes de junho de 2012, fará dez anos...

A ideia plantada pelo nobre colega historiador Leonardo Pildas e será levada ao prelo no inicio de Junho.

É o que pretendemos...


* virtual. O quê diria Machado de Assis disso tudo? Segundo o colega Etim ele ficaria satisfeitíssimo...

Tenho dito... E sempre!!!

FAGNER - ROMANCE NO DESERTO - Há 25 anas atrás....

Retornando de Sobral domingo à tarde Monalisa clicou

Uma imagem que deve ter sido vista por muitos sobralenses.  Ao nascente sob uma pequena nuvem que resolveu pulverizar o chão seco, a luz solar se decompôs nesta beleza de arco íris.


Acertando os ponteiros... Digo digo... O velocímetro...

Hora da verdade! É desconfortável mas precisamos desfazer, acabar, passar uma borracha mata borrão sobre esta imoralidade!

-Já vem o aspirante a escriba mor sucupirano com suas lições de retidão... quem será que ele vai torrar agora no fogo de sual língua "purificadora"

-Calma amado, estimado, idolatrado e tantos outros ....ados leitor agora destas bem traçadas linhas. É melhor o amado, estimado, idolatrado e tantos outros ....ados leitor agora destas bem traçadas linhas ir se acostumando. Não sou mais aspirante. A sujeira é tanta e meus pulmões não aguentaram... Agora sou Escriba-mor, e este título é vitalício.

Mas voltando ao assunto inicial não estava pensando em fritar ninguem e a imoralidade que me propunha a acabar estava plantada aqui neste terreno sobre meu domínio. O contador de visitas lembram dele a uns dias atras?

Pois bem: Eu tinha adulterado o mesmo para mostrar aos amigos leitores que audiência blogueira pode e em muitos casos é maquiada... No dia do feito, ou melhor do mal feito meu contador real marcava exatos 3.641 visitantes...

Guardei este número e cravei lá no danado o número 1.000.000 de visitantes. Eita pau! Pensaram os mais céticos. Isso deve ser efeito da APL e do cargo de presidente da mesma. O homem já está feito os políticos... Puxando brasa para a sardinha dele... Né isso não amigo... Prova é que agora estamos retornando aos números reais...

Vamos fazer uma continha de somar. Isso mesmo como naquele tempo em que a gente aprendia o bê a bá com a dona Teresinha, lembram?

Naquele dia eu tinha exatos........................................................................ 3.641 visitantes
Zerei tudo e acrescentei.......................................................................1.000.000 visitantes
No momento em que escrevo isso ele marca.........................................1.000.200 visitantes

Então, desconsiderando "os milhão" da fraude eu tenho............................3.841 visitantes

Biiiiiiiiiiiiiiiiiingo!!!!  Este é realmente o número exato de bisbilhoteiros que pisaram em terras jambonenses e também sucupiranas. Número que se não é lá uma audiência global é muitíssimo valioso, pois tenho certeza da qualidade de excelência dos mesmos. Aqui não vale aquele grande ditado que diz da importância da quantidade. Lógico que quero ser visto e lido por mais e mais pessoas, mas a qualidade é essencial. É isso que tenho visto.

Muito agradecido aos visitantes e que tragam mais e mais bisbilhoteiros para a grande arena...

Tenho dito... E sempre!!!


Li no blogue coreausiara:

(...)FÓRUM COREAÚ

Quando dei umas voltas pelo sopé da Serra da Meruoca, em território coreauense, fiquei abismado com a quantidade de rochas ali existente. Será toda inútil? Alguém do poder público já pensou em sua utilidade, em favor do município e do contribuinte? Um estudo geográfico poderia responder estes questionamentos! A academia está aí... (...)


Pois bem: Para suas indagações caríssimo escriba, eu tenho respostas...

Pois bem 2: Podem até não serem elas todas verdadeiras, mas...

Pois bem 3: Eu disse:

Pois bem 4: Maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaassssssssss:

Pois bem 5: Vou lhe responder assim mesmo...

Pois  bem 6: Para esta pergunta: Será toda inútil?

Pois bem 7: Não!

Pois bem 8: E para esta: Alguém do poder público já pensou em sua utilidade, em favor do município e do contribuinte?

Pois bem 9: Também não!

Pois bem 10: E esta outra aqui: Um estudo geográfico poderia responder estes questionamentos!

Pois bem 11: Sim! Mas ..... Eu diííííííííííííííííííííííííííííííííísse: Maaaaaaaaaaaaaaaaaaasssss..

Pois bem 12: Se estes especialista não chegarem a tempo....

Pois bem 13: Acorda companheiros...

Pois bem 14: Poderão não encontrar pedra sobre pedro.... Digo... digo... pedra sobre pedra...

Pois bem 15: Explicar-lhos-ei agorinha mesmo.... É que tal qual fizemos em 1500, quando trocamos todas ou quase toda as nossas riquezas por espelhos e fitas, agora eles estão levando as pedrinhas. Novamente em troca de fitinhas e espelho...

Pois bem 16: E os donos ainda acham que estão levando a melhor, já que elas estavam lá ha tanto tempo e não lhes serviam para nada....


Tenho dito... E sempre!!!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Ednardo - Enquanto Engomo a Calça

Li no blogue do professor Romildo Moura:

(...)CID GOMES ASSINA DECRETO QUE REGULAMENTA PROIBIÇÃO DE CELULAR EM AGÊNCIAS BANCÁRIAS
O governador Cid Gomes assinou na sexta-feira (20) o decreto que regulamenta a Lei 14.961 de 2011, que proíbe a utilização de telefone celular dentro de agências bancárias. Ainda conforme a Lei, os bancos ficam obrigados a instalar divisórias individuais entre os caixas e espaços reservados para clientes que estão aguardando atendimento. As agências bancárias ficam também obrigadas a instalar câmeras e contratar empresas especializadas para garantir a segurança dos clientes. Caso as determinações não sejam cumpridas, o banco pode ser penalizado com multa diária de 500 Ufirce (cada Ufirce é equivalente a R$ 2,68). O decreto deverá ser publicado no Diário Oficial do Estado na próxima semana e os bancos terão 90 dias de prazo para se ajustarem à Lei.

Ainda nesta sexta-feira (20), o Governador assinou o decreto que estabelece o Programa de Estágio Remunerado na Defensoria Pública Geral do Estado (DPGE). O decreto prevê a contratação de um estagiário para cada defensor público no Estado. Atualmente, são 70 estagiários e a partir da vigência do decreto, mais 215 estagiários prestarão serviço à DPGE, o que dará mais agilidade aos processos. O terceiro decreto assinado pelo governador Cid Gomes cria a Unidade de Conservação de Proteção Integral a Estação do Pecém.

20.04.2012
Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado(...)


Pois bem: É assim mesmo que se acaba com a praga de carrapatos... Matando a vaca!

Tenho dito... E sempre!!!

sábado, 21 de abril de 2012

Gritem... mas gritem bem alto... Quero ouvir!

Concluímos assim que somos um pais realmente rico... A Europa com  o custo de seus políticos bem mais baixo que esta carestia brasileira quebrou faz um tempão e nós ainda estamos de pé... Imagina se não fossemos tão violentados financeiramente pela classe política. Colocaríamos o mundo no bolso... Gritemos então um grito de revolta. Ruja feito o leão feroz e faminto ao atacar sua presa.... Não podemos permitir mais isso... Divulguemos em massa esta informação... Mais e mais pessoas precisam sentir esta indignação que eu sinto agora e desde muito tempo, pois eu sei disso desde que me entendo por gente. Se é que eu sou gente mesmo... Tenho dúvidas quanto a isso desde aquele tempo em que aquele outro se dirigia aos brasileiros dizendo: "-Minha gente..."
Tenho dito... E sempre!!!

TV Globo - Bom Dia Brasil (custo dos políticos no Brasil aos cofres públ...

YouTube - The Great Pretender-The Platters(1956)

Pois bem e um guerreiro penadubense

Amado, estimados, idolatrados, e tantos outros ....ados leitores destas agora bem traçadas linhas...
-Lá vem o escriba mor e suas enrrolação... Pelo título vem se auto enaltecer o herói penadubense...

-Não é bem isso amado leitor, se bem que o fato realmente nos remete a um pouco de heroísmo...

-Relate-o então profanador... Já o imagino agora por ser um imortal ainda mais atrevido...

-Pois bem: -Dí-lo eu: a sequência do fotos abaixo entituladas Raio, Raio II, Raio III, Raio IV, Raio V e Raio VI são as provas um tanto da veracidade deste ato...

Pois bem 2: Não, não se preocupem... Os serviços meteorológicos sucupiranos não registraram nada similar neste inverno, nem tampouco nestes últimos dias...

Pois bem 3: Estas fotos se encontravam perdidas em um sem número delas em ultra potente agora AMD X6, que arrasta 1,630 terabytes de informações e que se encontrava parado desde que sofreu atentado do serviço secreto jambonense no final de setembro do ano de 2011...

-Ora pare de enrrolar e vá direto ao assunto, senão entitulá-lo-ei agora de também enrrolador mor sucupirano...

Pois bem 4: Mas calma amado, estimado, idolatrado, e tantos outros ....ados leitore destas agora bem traçadas linhas... Sem querer abusar de autoridade que me é constituída, (agora além de escriba mor sucupirano, sou também presidente e olhe que é cargo vitalício). 

Pois bem 5: Da APL - Academia Palmense de Letras...

Pois bem 6: Mas voltando às fotos, este fenômeno ocorreu em março ou abril do ano de 2011 lá nas terras Cunhassú, onde pariram este agora grande vulto  das letras jamboneneses, sucupiranas e por que não dizer coreauense.

Pois bem 7: Como José Saramago, Pablo Neruda e tantos outros, sou também ícone internacional das letras.

Pois bem 8: Pelo menos nestas três nações, já faço ria a uns, e incomodo a outros, com minhas mal, digo... digo... bem traçadas linhas...

Pois bem 9: Por sorte e para não me chamarem de mentiroso estava lá no momento, somente eu e minha Canon Power Shot A-590 IS, 8 MP, adquirida em meados de 2007, mas que dá de 100 X 0 na grande maioria das de 15, 20 ou até mesmo mais que isso, graças somente à sua lente profissional...

-Deixe de enrrolação e de fazer propaganda de sua ultra ultrapassada máquina de tirar retrato, só faltou dizer que usava filmes Kodac 36 poses...

Pois bem 10: Não a troco por nada deste mundo..

-E o raio? Aposto que saiu correndo todo borrado não é mesmo, valentão

Pois bem 11: Que nada amado, estimado, idolatrado, e tantos outros ....ados leitore destas agora bem traçadas linhas...

Pois bem 12: O estrago só não foi maior porque este sucupirano que tem em suas veias o sangue de meu avô Zeca, rebateu com sua peixeira doze polegadas de aço niquelado parte daquela gigantesca força natural... Senão?

Pois bem 13: Companheiros... cuidaaaaado!!! As gramíneas do solo teriam sido queimadas com maior intensidade....

Tenho dito... E sempre!!!

 

Raio


Raio II


Raio III


Raio IV


Raio V


Raio VI


Os que servem à Pátria - Eis aí um grande gênio...

 Ruy Barbosa foi um dos homens mais brilhantes de seu tempo.

Como jurista, político, diplomata, escritor e orador, deixou sua contribuição ao povo brasileiro de uma forma toda especial.

Um dos intelectuais mais sábios de seu tempo, foi um dos organizadores da República e coautor da Constituição da Primeira República juntamente com Prudente de Morais.

Ruy Barbosa trabalhou na defesa do Federalismo e do Abolicionismo e na promoção dos direitos e garantias individuais.

Em especial, sua noção a respeito de Pátria e de patriotismo é verdadeiro tesouro que temos na literatura brasileira. E que merece ser melhor estudado.

Eis um breve extrato de texto seu a respeito do tema:

A Pátria não é ninguém: são todos. E cada qual tem noseio dela o mesmo direito à ideia, à palavra, à associação.

A Pátria não é um sistema, nem uma seita, nem um monopólio, nem uma forma de governo: é o céu, o solo, o povo, a tradição, a consciência, o lar, o berço dos filhos e o túmulo dos antepassados, a comunhão da lei, da língua e da liberdade.

Os que servem são os que não invejam, os que não infamam, os que não conspiram, os que não sublevam, os que não desalentam, os que não emudecem, os que não se acobardam, mas resistem, mas ensinam, mas esforçam, mas pacificam, mas discutem, mas praticam a justiça, a admiração, o entusiasmo.

Porque todos os sentimentos grandes são benignos, e residem originariamente no amor.

No próprio patriotismo armado, o mais difícil da vocação, e a sua dignidade, não está no matar, mas no morrer.

A guerra, legitimamente, não pode ser o extermínio, nem a ambição: é simplesmente a defesa. Além desses limites, seria um flagelo bárbaro, que o patriotismo repudia.

Será que estamos servindo nossa Pátria?

Será que não estamos nos perdendo, por vezes, na pura e maldosa difamação do país?

Em muitas situações,trazemos o vício da maledicência também para as questões envolvendo o desenvolvimento de nosso Brasil.

Fala-se mal por falar mal e pronto. Critica-se, acidamente, sem apresentar soluções, como se o país fosse um caso perdido da história humana na Terra.

Os que servem são os que não difamam e também os que não desalentam, pois enxergam nos outros brasileiros seus irmãos de caminhada.

Estamos juntos, num mesmo contexto político-social, por uma razão especial. Nascemos onde precisamos nascer, seja por compromisso com esta terra ou por missão bendita, que nos coloca a serviço do bem em solo brasileiro.

Os que não emudecem são os que fazem sua parte, seus deveres de cidadão consciente, e só assim exigem seus legítimos direitos.

Não se acobardam diante das lutas, dos desafios frequentes e necessários, pois sabem que toda vitória exige estudo, trabalho e dedicação.

Por isso ensinam... Ensinam o amor nos lares e nas ruas: amor à família, ao próximo, ao Brasil.

Os que servem à Pátria são os que pacificam a si mesmos, tornando-se missionários do amor, do entendimento, como um Ruy Barbosa, como um Ildefonso Pereira Correia, um Chico Xavier, e tantos outros.

Será que estamos servindo nossa Pátria?

Pensemos nisso...


fonte:  www.momento.com.br


Strangers in the night -Frank Sinatra. - E porque Ava voou, fiquemos então na companhia de seu grande dicispulo e a bela canção, Estranho na noite....

Um elefante incomoda muita gente...


Dois elefantes incomodam, incomodam muito mais

Três elefantes incomodam muita gente

Quatro elefantes incomodam, incomodam, incomodam, incomodam muito mais

Cinco elefantes incomodam muita gente

Seis elefantes incomodam, incomodam, incomodam, incomodam, incomodam, incomodam muito mais

Sete elefantes incomodam muita gente

E eles juntos incomodam, incomodam, incomodam, incomodam, incomodam, incomodam muito mais





Pois bem: A assim a nossa Academia Palmense de Letras - APL vai se moldando.

Pois bem 2: Aos poucos mas vai...

Pois bem 3:  Agora já em número de três podemos democraticamente nos momentos propícios tratar dos rumos e dos assuntos pertinentes à mesma...

Tenho dito... E sempre!!!

Epístola de Manepa ao colega imortal, dono da cadeira número dois Chico Elitom tratando da indicação do imortal número três Benedito Gomes Rodrigues

Caro colega Francisco Elitom. De supetão fiz sentar na cadeira de numero 3 da APL colega que vem se mostrando discipulo de idealistas legítimos. Queira desculpar a decisão tempestiva e sem consulta ao honorável membro número dois. Nem pensei que era pertencente a uma academia democrática... rsss.. Mas perdoado o lapso, faço neste momento um juramente de que de agora pra frente decidiremos apartir dos já existentes todos os rumos e consequentemente os destinos de nossa APL.. Foi um erro grosseiro, mas enfim... tá feito... Como agora somos em número de três não meterei os pés pelas mãos. Até por que poderei ser voto vencido... rsss

Mas o cabra é bom e com certeza o amigo aprovaria também...

Segue o texto de agradecimento do mesmo para apreciação por parte do colega.

Tenho dito... E sempre!!!

Carta de aceitação ao título de imortal numero três

  "Ontem, no início da noite, soube de algo com certo espanto. De supetão, cedendo ao seu ímpeto compulsivo característico, Manepa noticiou uma honraria endereçada a minha pessoa, em reconhecimento aos iniciantes e desengonçados escritos meus publicados em blogues coreauenses de certo tempo para cá, frutos de minha inconformidade perante as castrações absurdas dos potenciais de desenvolvimento de nossa gente!
      Fui convocado a ocupar a cadeira de número três, dentre as sete disponíveis, da Academia Palmense de Letras, fundada pelo supracitado e cômico doido e o conterrâneo poeta Francisco Eliton! Eu, que nem letrado me reconheço, produzindo apenas ocasionalmente alguma ideia escrita para divertimento pessoal e partilha cultural, defesa de ideais, obviamente, senti-me lisonjeado pelo reconhecimento, oriundo de tais figuras.
      Agora, já é um estímulo a mais para escrever e me ater com mais afinco à qualidade dos textos. Em nossa terra, infelizmente, este hábito da escrita não vem sendo lá o dos mais difundidos. Talvez produzindo nossas brincadeiras textuais possamos, ao tempo em que se alfinetam as barbaridades político-sociais locais, incentivar a leitura e escrita, e, consequente, enriquecimento cultural palmense!"
 
Atenciosamente
 
Benedito Gomes Rodrigues

Feed back do colega Francisco Eliton Albuquerque Meneses sobre a indicação do imortal numero três...

Não sei se por uma espécie de premonição, ontem ainda, havia endereçado um pedido de amizade virtual no facebook ao Benedito Gomes Rodrigues, não sei se já aceita, por vê-lo amiúde perpassar com desembaraço os blogs e redes sociais que frequento, mesmo sem conhecê-lo pessoalmente...
 
E uns dias antes andei a matutar por mera curiosidade quem ocuparia a cadeira ao lado, no que avultou sinceramente o nome do colega...
 
Seu olho clínico, escriba-mor, é incrível. Ecce homo!
 
Não bastasse isso, amigo, você, além de cadeira nº 1, é o presidente da APL, tendo direito a voto indicativo, além do voto de minerva. Assim, como éramos, até então, somente dois, seu voto de minerva faria prevalecer a indicação. Isso se eu discordasse! Mas muito pelo contrário, a escolha foi excelente e eu a assino embaixo. De modo que, como presidente, você pode decretar a unanimidade da votação do mais novo imortal!
Salve a APL

Tiradentes e a inconfidência mineira pela história oficial

Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes (Fazenda do Pombal[1], batizado em 12 de novembro de 1746 — Rio de Janeiro, 21 de abril de 1792) foi um dentista, tropeiro, minerador, comerciante, militar e ativista político que atuou no Brasil colonial, mais especificamente nas capitanias de Minas Gerais e Rio de Janeiro. No Brasil, é reconhecido como mártir da Inconfidência Mineira, patrono cívico do Brasil, patrono também das Polícias Militares dos Estados e herói nacional.

O dia de sua execução, 21 de abril, é feriado nacional. A cidade mineira de Tiradentes, antiga Vila de São José do Rio das Mortes, foi renomeada em sua homenagem.

Nascido em uma fazenda no distrito de Pombal, próximo ao arraial de Santa Rita do Rio Abaixo, à época território disputado entre as vilas de São João del-Rei e São José do Rio das Mortes, na Minas Gerais.

Joaquim José da Silva Xavier era filho do reino Domingos da Silva Xavier, proprietário rural, e da brasileira Maria Paula da Encarnação Xavier (prima em segundo grau de Antônio Joaquim Pereira de Magalhães), tendo sido o quarto dos nove filhos.

Em 1767, após o falecimento de sua mãe, segue junto a seu pai e irmãos para a sede da Vila de São Antônio; dois anos depois, já com onze anos, morre seu pai. Com a morte prematura dos pais, logo sua família perde as propriedades por dívidas. Não fez estudos regulares e ficou sob a tutela de um primo, que era destinta. Trabalhou como mascate e minerador, tornou-se sócio de uma botica de assistência à pobreza na ponte do Rosário, em Vila Rica, e se dedicou também às práticas farmacêuticas e ao exercício da profissão de dentista, o que lhe valeu o apelido (alcunha) de Tiradentes, um tanto apreciativa.

Com os conhecimentos que adquirira no trabalho de mineração, tornou-se técnico em reconhecimento de terrenos e na exploração dos seus recursos. Começou a trabalhar para o governo no reconhecimento e levantamento do sertão sudestino. Em 1780, alistou-se na tropa da Capitania de Minas Gerais; em 1781, foi nomeado comandante do destacamento dos Dragões na patrulha do "Caminho Novo", ferrovia que servia como rota de escoamento da produção mineradora da capitania mineira ao porto Rio de Janeiro. Foi a partir desse período que Tiradentes começou a se aproximar de grupos que criticavam a exploração do Brasil pela metrópole, o que ficava evidente quando se confrontava o volume de riquezas tomadas pelos corruptos e a pobreza em que o povo permanecia. Insatisfeito por não conseguir promoção na carreira militar, tendo alcançando apenas o posto de alferes, patente inicial do oficialato à época, e por ter perdido a função de marechal da patrulha do Caminho Novo, pediu licença da cavalaria em 1787.

 Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Tiradentes


Pois bem: É esta a história que a grande maioria do brasileiros sabem. Salvo algum outro historiador mais garimpeiro saberá contá-la com mais detelhes, e consequentemente com espírito critico...  É um "resumeco" de em enredo trágico e que teve como principal protagonista um sonhador transitando no meio de cobras e serpentes traidoras. A não fica por aí... Ao longo destes cinco séculos de nação sucupirana mantidas as devidas proporções estamos recheados de histórias parecidas...

Tenho dito... E sempre!!!