Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

domingo, 24 de junho de 2012

Vamos usar lógica?

É bom demais falar com público racional, porque eu posso fazer este tipo de convite, sem medo de errar. Vamos mesmo usar a lógica?
Eu já falei disto em outro artigo, há algum tempo, mas nunca é demais repetir pra convidar as pessoas a pensar:
Deus é a Suprema inteligência, coerência, sensatez a BONDADE de verdade, não é?
Não confundir BONDADE com a “bondadezinha” fajuta dos homens falsários.
As manifestações da Natureza são as manifestações de Deus, as Leis da Física foram criadas por Deus porque é impossível um homem tê-las criado.
Foquemos nisto, então.
Veja este exemplo:

Uma pequena criança, de um ano de idade, engatinhando ou andando pela sala da sua casa, vê uma tomada elétrica, vai até lá e mete o dedinho.

O que vai acontecer?
Vai aparecer alguma associação defensora dos direitos humanos divina, trazendo vários anjos, para impedirem que a criança tome o choque que vai machucá-la e fazê-la chorar?
Será que esses “protetores” vão dizer:
- “Precisamos ter compreensão para com a ingenuidade, a falta de informação e o momento infantil que ela está vivendo, coitadinha, desprevenida, sozinha e sem ninguém por perto, e vamos retirar, num passe de mágica, a energia que está na tomada, para que ela não tome o choque.”
É assim que a Natureza age?
Imaginemos se antes de acontecer o terremoto do Haiti, as “bondades” da Natureza dissessem:
- “Providenciemos uma legião de anjos, todos defensores dos direitos humanos, para se posicionarem e segurarem as placas tectônicas, porque não é justo um terremoto numa terra desta, de gente tão pobre, coitadinha desta gente. Não vamos permitir o terremoto”.
Um cidadão comum e honesto, inclusive, anda pela chuva fria e recebe aquela frieza nas suas costas, porque está desagasalhado. Aí a Natureza diz assim:
- “Coitadinho, temos que defender o direito dele. Não vamos permitir que ele seja contagiado por nenhuma gripe e muito menos pneumonia.”  E protege o cidadão, imunizando-o.
A Natureza é também boazinha e não deixa que as agressões ao meio ambiente tragam conseqüências amargas para o homem, porque morre de pena dele e acha que tem que defendê-lo dos males que advirão, afinal de contas o homem, pelo seu atraso evolutivo, não pode ser responsabilizado pelo que faz.
São Paulo faz o que faz com o rio Tietê e gera uma poluição enorme no ar que o seu povo respira. Mas a natureza, muito boazinha, com pena do paulistano, faz esforços para manter peixes vivos e saudáveis no rio e não permite que o ar prejudique o pulmão de ninguém, pois...
- “Os direitos são iguais. Se povos brasileiros, que tem os mesmos direitos, moram em cidades da Amazônia e de outras localidades respirando ar puro, temos que dar o nosso jeito para dar ao paulistano também o mesmo ar.”

Não é nem preciso eu ficar aqui dando exemplos, porque qualquer leitor meu, que não é cego, vê muito bem como é que a Natureza age com a gente, ou seja, como a Lei e a Administração de Deus agem com todas as criaturas.

No entanto a imbecilidade brasileira determina o seguinte:

Bandidos, que não querem pagar pelo que fizeram, se revoltam e botam fogo nos próprios colchões e cobertores que dormem.
Aí o governo, muito bonzinho, que tem um amor enorme no coração, que chega a ser até melhor do que Deus, morrendo de pena dos coitadinhos, providencia imediatamente novos colchões e cobertores e coloca lá.
Seis meses depois os vagabundos fazem a mesma coisa e novos colchões e cobertores são providenciados.

Agora, já que estamos raciocinando, imaginemos como a Natureza faria:

Puseram fogo nos colchões? Ótimo, vão ficar sem os colchões e sem os cobertores, vão dormir no duro e no frio, pra tomarem vergonha na cara e aprenderem a nunca mais fazer isto.

Seria bom que fosse no tempo frio que está fazendo agora em São Paulo.
Duvido que presidiários voltassem a botar fogo em colchões no Brasil. Nunca mais a gente veria isto no noticiário da televisão e dos jornais.
Eu relatei, em outra matéria, um caso de um adolescente bandido, de 16 anos, que estava acompanhado de mais dois numa tarde movimentada em um shopping Center de São Paulo, e simplesmente resolveu enfiar a mão na genitália de uma menina, também, adolescente, que passeava com os seus pais no mesmo shopping. Um pegou na genitália e o outro pegou nos seios dela, quando a menina gritou e chamou a atenção dos seguranças e dos olhares de todas as pessoas próximas.
Quando o pai da garota levantou o braço para dar uma porrada no moleque, o segurança gritou:
- “Meu senhor, por favor, não faça isto! O senhor vai se prejudicar, as câmeras estão gravando. Nós também não podemos fazer nada, a não ser colocá-los para fora do shopping”.
E o moleque ficou rindo e debochando da família:
- “Qual é, coroa? Perdeu, perdeu, perdeu. Eu sou de menor. Caladinho, caladinho, ...” e fez sinal de psiu com o dedo indicador na boca.
A esposa deu razão ao segurança e mandou que ele engolisse aquilo a seco e ficasse calmo.
Se ele e os seguranças aplicassem a Lei da Ação e Reação, que é uma lei da NATUREZA, e dessem uns tapas nos bandidos, com certeza a tal Comissão dos “direitos” humanos iria fazer de tudo para que eles fossem punidos, não os bandidos.
Esta é a realidade do país em que vivemos. Um país descarado, sem vergonha com uma das justiças mais burras do mundo.

O bandido faz o que quer em nosso país, maltrata, agride, fere e faz as pessoas sentirem dores, de forma impiedosa e cruel. Ainda fica morrendo de rir na cara da vítima. É impressionante o nível de perversidade dos seqüestradores.
Mas o sistema do Brasil não permite que este bandido sinta a mesma dor, para aprender a não repetir mais o delito.
É totalmente o contrário da Lei da Natureza e da Lei de Deus.
Na Lei de Deus o neném toma mesmo o choque, ao enfiar o dedinho na tomada, as populações sofrem dores pelas enchentes e os desabamentos quando agridem a natureza, o homem sofre as dores dos enfizemas ao colocar nicotina nos pulmões... enfim, sempre sofre as conseqüências de tudo o que faz, colhe tudo o que planta.
Mas o “amor” da sociedade hipócrita é contrário a tudo isto, numa burrice tão grande que faz com que ela mesma seja vítima da impunidade que impera.
Não tenham dúvidas de que se estivesse vivo aquele bandido que assassinou as crianças no colégio do Realengo, no Rio de Janeiro, com certeza absoluta estaria protegido pelo bonzinho governo brasileiro, sem tomar o choque elétrico da tomada.
Aí vem uma meia dúzia de defensores desta irresponsável hipocrisia para dizer:
- “Alamar, nós não podemos voltar ao tempo da barbárie! Violência não pode gerar violência! Nós temos é que cultivar o amor no coração desses irmãos equivocados!”
Quanta bondade de mentirinha, quanta máscara tem a nossa sociedade sem vergonha.
Outro dia que escrevi sobre a tal Associação dos Direitos Humanos, esta que é de uma bondade impressionante para com os bandidos, recebi um email de uma senhora, do Rio de Janeiro, amiga leitora, que me dizia o seguinte:
- “Alamar, eu tenho um vizinho que é um dos ativistas desses tais direitos humanos, que vai pra televisão, vai para o rádio, aparece a cara dele nos jornais toda vez que um policial baixa a porrada num bandido. Você precisa ver a atuação dele, pedindo prisão e punição rigorosa para os policiais.
No entanto, amigo, é um verdadeiro carrasco dentro de casa. Bate na mulher, espanca os filhos, é grosseiro até onde não pode mais com os vizinhos. O safado não quer que os policiais batam nos bandidos, mas se acha no direito de espancar a esposa e os filhos”.
Infelizmente esta é a realidade que vivemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário