Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

domingo, 25 de novembro de 2012

E “nóis” aqui só se empanturrando.


Corria o ano de 370 a.C e o filósofo sorridente, astrônomo, construtor, matemático da escola de Alexandria, um dos primeiros a tratar da Teoria Atômica, Demócrito nascido no ano de 470 a.C tomou uma decisão drástica para os padrões atuais. Com cem anos de idade resolveu parar de comer por que achou que já tinha vivido demais. Sua greve de fome duraria dez anos. Pois bem...
-Diga onde pretende chegar com este pequeno tratado biográfico de Demócrito de Abdera...

-Antes que continue, peço ponderação, amado e estimado leitor destas mal traçadas linhas... Atendê-lo-ei sem mais lenga lenga nem delongas.... A obesidade presente em grande parte das pessoas na atualidade é resultado da comilança desenfreada, gulosa e suicida. Senão vejamos. Não são todas as pessoas, mas muitos fazem do momento à mesa uma rotina de prazeres palatais colossal. Como reza a aritmética básica e o básico da contabilidade, toda vez que a coluna dos créditos recebe mais que a coluna dos débitos há saldo positivo azul, porém vermelho quando se trata de nosso organismo. Como toda máquina, e o ser humano é uma das mais perfeitas, para que se movimente é preciso combustível, no entanto se a viagem não consome todo fica um saldo no tanque, em nós este saldo se apresenta sob a forma de obesidade, para não aplicar outro vocábulo mais popular... É aí que o bicho pega. Sabendo que Demócrito fez jejum até a morte, sabendo que muitos irmãos fazem jejum forçado, por não disporem de um simples pedaço de pão, como podemos nos comportar dessa maneira? Apesar de ignorante das letras mas consciente de espírito por este “pecado capital” não estou mais impedido de adentrar ao tao sonhado paraíso. Posso até ainda cometer os outros seis... Fisicamente não consumo tanta energia no dia-a-dia, para que então acumulá-las de maneira desnecessária? Nem tenho onde guardá-las! Em assim sendo, não pretendo fazer jejum até a morte, muito menos comer até morrer, pois como unicamente para viver e não, vivo exclusivamente para comer... Tenho dito... E sempre!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário