Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

sábado, 29 de dezembro de 2012

Já vi muito isso... Por várias vezes em trinta anos... Mas nunca tinha feito isso...

1. Já vi isso em 1983... 1992... e agora em 2012...  Clique aqui para ver e ler também, senão novamente...

2. Já vi isso em 1983... 1992... e agora em 2012 - Parte II... Clique aqui para ver e ler também senão novamente...

Pois bem: Mas... Eu nunca tinha feito, e, duvido que o amigo leitor também o tenha, nos últimos trinta janeiros... A cena é bela apesar de trágica, para não dizer patética... Transitei com meu "Trabant" por todo o leito seco dos dois açudes que ficam próximos à nossa urbe. Estão ambos secos. O que mais próximo da cidade fica está completamente e as fotos denunciam isso claramente. Já o outro mais afastado ainda resta uns poços lamacentos de água onde alguns pássaros tentam sobreviver dividindo o que lá ainda resta de peixes com alguns pescadores necessitados que insistem em arrancar da lama alguma piaba para a sagrada mistura do baião de dois... A cauda disso eu já falei aqui e o amigo navegante (royalties para o jornalista Paulo Henrique Amorim) pode ler nos links no início desta postagem... "Incompetência administrativa e descaso reinante nos últimos cinquenta anos..." Só isso e nada mais... Numa oportunidade destas as duas bacias, se aproveitando o vazio das mesmas fossem aprofundadas em um metro por toda as suas extensões nunca mais veríamos esta cenas que vos mostro logo abaixo nestas fotos que como já disse, seriam belas se não fossem trágicas...

Tenho dito... E sempre!!!

 Leito do Açude Novo - Foto By Manepa 29.12.2012
  Leito do Açude Novo - Foto By Manepa 29.12.2012
 Trabant transitando no  leito do Açude Novo - Foto By Manepa 29.12.2012
  Leito do Açude Novo - Foto By Manepa 29.12.2012
  Leito do Açude Novo - Foto By Manepa 29.12.2012
  Leito do Açude Novo - Foto By Manepa 29.12.2012
  Leito do Açude Novo - Foto By Manepa 29.12.2012
 Leito do Açude Novo - Foto By Manepa 29.12.2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário