Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

domingo, 4 de agosto de 2013

E eu, tribuno de mim mesmo, proclamo aos amados súditos do novo reino de Sucupira: "-Habemus regem!!!"

Pois bem: E assim teve início a curta cerimonia de entronação do novo Rei de Sucupira. Do alto de um pequeno tamborete à sombra de um pé de juazeriro (clique aqui para ouvir o hino do novo reinado) diante de pouco mais da metade da população, número este suficiente para manter a legitimidade do novo governo. Eram pouco mais de seis horas da manhã, horário ideal para não fazer sofrer o já sofrido povo sucupirano e não durará mais que vinte ou trinta minutos. Tempo o suficiente para transmitir aos súditos todas as minhas legítimas intenções como moncarca e dirigente de seus destinos... 

Alegres e esperançosos de novos dias de bençãos e claridades em seus viveres atentos e silênciosos todos me dirigiam ao olhares.

Correspondí o gesto correndo a vista raiando a visão em 180° da esquerda para a direita e sorri para todos.

-Bendito seja todos vocês que aqui se encontram e os que não se encontram tambem. Bendito sejam!!! Que a partir deste momento solene lutemos em conjunto para aplacarmos os ânimos exaltados e semearmos em seus corações as sementes do amor , da caridade e da fraternidade. Que ajudemos a combater a ignorância, o egoísmo, a ganânica desmedida e a indiferênça para com as situações de queda de nossos irmãos desvalidos. Que ajudemos a combater as injustiças e que reine a paz, a tranqulidade, o sossego e a vida prospere sustentavelmente...

-Clap.... clap... clap...

Fora o feed back de retorno da plateia atenta... Sinal de que tudo estava aprovado... Pronto... Sucupira viverá uma nova era...

Mesmo terminada a cerimônia que não durara nem quinze minutos o povo acostumado às salas de esperas por pomposas festas da república caida continuara em silêncio esperando mais blá... blá... blá...

Ante meu gesto de retirada,  (deveres urgentes esperavam o novo monarca e seu conselho) eis que se aproxima do tamborete que servira de tribuna representantes da mercenária, preconceituosa, ultra racista e venável mídia. De várias nações ao redor do globo. Pareciam um vespeiro. O povo em silêncio assistia a tudo e eu na posição em que estava fiquei. Mimicamente falando para acalmar o barulho disse atendê-los em fila indiana um a um com apenas uma pergunta. Que se organizassem então...

Se achega o primeiro representante daquela que já mandou, elegeu e derrubou ex presidentes na República Velha e indaga sarcastimente se não me envergonharia da auzência de representantes de "xefes de istados" do mundo afora. Se isso não seria uma mensagem de desaprovação ao novo sistema.

Respondi lhe perguntando se tinha trazido dinheiro para o lanche, já que nesta data não teria comes e bebes às custas do povo e a faltas daqueles a quem ela se referia era uma honraria ao povo sucupirano. As reservas financeiras que bancam estes circos geralmente fazem falta na mesa, nos hospitais, nas escolas e em vários departamentos do governo... Próximo!!!

Se achega o segundo e vem com a seguinte pérola: Sabemos ó magestade (ja começou bajulando e puxando meu saco. Ôh saco!!!) que os Reis são pessoas iluminadas e enviada pelos deuses para conduzir os povos. Não se sente apequenado por não ter vindo receber as bençãos "del minino" o mais novo, quase nosso vizinho de fronteira e que agora e  representante e substituto contínuo de Petra?

-Neste momento quebrei o protocolo nobre e respondí: -Ó seu filho duma égua!!! Os tempos são outros... Mesmo sob a Égide Divina, meu reinado saberá separar o profano do sagrado em todos os seus atos administrativos...

Os  súditos gritaram: -Bravo!!! Bravo!!! Bravo!!! Esta reação me reforçava as energias e legitimava o novo governo...

Passada a euforia, retorna o silêncio e mesmo tendo notado que muitos correspondentes ja tinham saído da fila desistindo de suas indagações talvez por já terem tirado suas próprias conclusões,  eu falo:  -Próximo...

Se achega com cara de filho da puta um mercenário que nem da imprensa era e depois de meio de minuto de bajulação, pois eu o interrompi, mando ir direto ao assunto, me oferece linho de pureza ímpar, segundo ele usado para vestir pessoas importantes mundo afora. Gesticula, faz voar pelo ar a tal peça. Apesar de naquele momento eu não ver nada em suas mãos, me faço de besta e pergunto; É mesmo. Que bonito!!! E quem se veste com tal preciosidade? 

-Reis, presidentes, primeiros ministros, alcaides, parlamentares, ricos de todas as nações. Vossa magestade não vai ficar de fora não é mesmo?

Em silêncio proposital, como a refletir, mas esperando a reação dos súditos que atônitos testemunhavam tamanha servergonice, fique alí por um minuto até que...

Enfurecidos, os súditos avançam sobre inescrupuloso lobista travestido de mascate e o julga alí mesmo.

Repórteres do mundo inteiro que ainda não tinham se idos e ainda mantinham seus equipamentos a filmar e gravar tudo testemunharam ao vivo a tentativa de crime, não contra o mascate, mas contra o novo Reino e minutos depois o mundo inteiro sabia que a coisa em Sucupira agora estava mais que séria do que nunca...

E assim foi o primeiro meio dia de Reinado em Sucupira...



Tenho dito... E sempre!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário