Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

domingo, 17 de novembro de 2013

O grande erro do Lula, da Dilma e do Partido dos Trabalhadores

Aos "depromados", jovens e "jovens" e a todos que hoje dormem com o estômago forrado com uma saborosa sopa de costelas mas que por ignorância, bestialidade, vontade de se tornar um burguesinho de merda, dentre outros atributos de boateiros em geral umas perguntinhas, deste "ignorante" e "alienado" escriba mor sucupirano:

1. Qual a unidade monentária brasileira em 1980?

2. Qual a unidade monentária brasileira vigente a partir de fevereiro de 1986?

3. Qual a unidade monentária brasileira vigente a partir de janeiro de 1989?

4. Qual a unidade monentária brasileira vigente a partir de março de 1990?

5. Qual a unidade monentária brasileira vigente a partir de agosto de 1993?

O real cês sabem não é mesmo? Não sabem com certeza é quanto suor, lágrimas e sangue o brasileiro comum teve que derramar para chegar aonde chegamos. Isso é certo.

Uma pequena amostrazinha do nosso dindin, que em tempos outros amanhecia com valor para comprar um pãozinho mas que a tarde não valia mas nem o papel que o enrrolava.


























Pois bem: Se pesquisares um pouco notarão que em algum tempo atrás o dinheiro mudou de nome em pouco mais de um ano. 

Isso tudo resultado de uma economia falida, mal administrada e por aí vai. Nesta época nascia o Partido dos Trabalhadores. Concebido pela primeira vez na história um partido político puramente trabalhista e que lutaria por décadas para chegar ao poder e fazer pelo o operariado o que a elite dominante não fizera nos últimos cinco séculos e nunca fará. Engana-se o besta que pensar o contrário.

Implantado no ano de 1994, no governo do FHC, o real viera para dar um novo fôlego à economia e também ao já falido trabalhador brasileiro. Essa era a promessa inicial. Inicialmente cumprira o que prometera. Ajudou a eleger presidente o seu criador. E a reelegê-lo. Clique aqui e saiba mas sobre a releição. Na época não tinhamos um "Juaquim" no supremo e por isso o crime passou despercebido.

Mas não tinha nem terminado o primeiro mandato daquilo (Royalties para o jornalista Neno Cavalcante) e o Real quase foi pro brejo. Era final do ano de 1998. O real passou por uma crise tal qual os papéis de Eike neste fatídico ano de 2013.

Aí veio inflação, veio desvalorização da moeda, veio desmando administrativo, doação do país aos amigos do Rei e por aí vai. Mas a pátria estava salva. A segunda eleição estava ganha. E isso era o que importava.

Novamente reiterando, o público a que me referi logo no início destas mal traçadas linhas não lembram de nada disso. Ainda estavam sujando as fraldas. E como o brasileiro tem memória curta também não lembra do sabor do angu azedo.

Aí veio a eleição de 2002 e finalmente um cabôco igual a mim chega à presidência deste país, para mudar definitivamente e para melhor a vida de milhões de miseráveis desvalidos da sorte. É bem verdade que muito ainda há por fazer. E falhas também foram cometidas. Mas com tudo isso é inegável que mil vezes melhor o PT fez do que todos que anteriormente governaram a senzala.

A "mardita incrusã digitá" que tem seu lado bom diga-se de passagem também serve para uma falange de alienados políticos e sonhadores com o perfume das fronhas elitistas disseminarem indiscriminadamente preconceito contra que lhes sustenta um guarda chuvas.

Rasguem estes seus "depromas"  velhos e voltem a estudar. Talvez se tivessem que sentir as dificuldades de adentrar pela porta da frente nas poucas faculdades existentes quando ainda nem respiravam o oxigênio na terra fossem mais ponderados. O governo popular do PT cometeu um grande erro sim. Permitir a criação de faculdades de fundo de quintal para espalhar diploma de graduado para quem não tem uma massa encefálica suficiente nem para adentrar ao jardim da infância. Esse foi o grande erro do Lula, da Dilma de do Partido dos Trabalhadores.



Tenho dito... E sempre!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário