Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

sábado, 28 de dezembro de 2013

Da série: Nelson Rodrigues Sucupirano e a eterna crônica de Tião e Fulô...

Mas de vinte sóis se passaram desde que neste exato momento Tiao, chegando em casa vindo de mais um dia de entrega à mais desenfreada boemia.

Encandeado com um brilho... Um brilho forte... Um brilho de estrela... Um brilho inexplicável...

Atordoado, Tião não teve outra atitude... Observou à distância querendo se aproximar da extrema beleza estrelar... Pasmo ficou... Durante muito tempo...

 

Anoitecera e era Natal... Com duas dezenas de sóis a menos nas costas Tião se recorda do vigor físico e da paixão desenfreada de outrora... Não daria noutra coisa... Cantou para si mesmo e baixinho "Juramento de Playboy" Largaria tudo... tudo... tudo...

 

Mas o que sobrava de juventude faltava de prudência e perseverança... Junte se a isso tudo orgulho... Muito orgulho... Ah esta praga que desmonta a humanidade e faz sofrer mundo a fora tantos... tantos... e mais tantos...

 

Mas deu certo... A princípio... Tião vivera momentos e mais momentos de mais extrema alegria, felicidades e planos... Mesmo naqueles tempos bicudos...

 

Mas como todo ser humano... Tião também errara... E o destino não o poupou por tão crasso erro...

 

Afastara-se do brilho estrelar onde tivera dias de claridade para novamente cair na boemia e trilhar as escuras vielas solitárias de um mundo desconhecido...

 

Uma estrela a brilhar ficara para trás. Bem para trás... Mas o quê fazer agora?

 

Voltar? Tentara... Mas sempre encontrava o destino sempre a colocar algum entrave desfavorecendo esta busca incessante...

 

As solitárias noites do pretérito que o digam... um torvelinho de saudades e arrependimento, martirizava e transformava-o num desafortunado do amor como diz o matuto...

 

Mas a busca não cessou... não cessará... Erros... Quem já não errou? Atire a primeira pedra então...  

 

E se ao invés do erro for acerto... Já não é sem tempo... Deve ainda haver sóis a esperar...



Tenho dito... E sempre!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário