Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

sábado, 3 de maio de 2014

Da série: Tá todo mundo errado...

Impaciente que ando, de obsrvar o que vândalos vem promovendo nos últimos tempos venho aqui expor impressões por mim colhidas nos últimos dias: A sequencia de fotos abaixo é uma amostra de como se encontra três trechos da rodovia estadual que liga o distrito de Aprazível em Sobral à Chaval passando por Coreau. As lombadas transversais que (incomodam e como incomodam o motorista) foram colocadas em vários trechos da mesma e várias se encontram avariadas por pessoas que tentando resolver um problema causado pelo poder criam outro maior. Por que? Porque a fixação dos taxões como são chamados os blocos luminosos que serve de obstáculo é feixa com resina a fogo quente e uma vez fixados sua retirada na pancada avaria mais ainda o já fraco pavimento. Ou seja: Quem atenta contra tais equipamentos público traz para sí a responsabilidade por eventuais acidentes causados. E identificar tais responsáveis não é tarefa fácil... 

Pois bem: Um olhar mais apurado sobre o caso denuncia os possíveis responsáveis pelos fatos. Os mesmos vem ocorrendo deste o distrito de Araquem, passando pela localidade de Cunhassu dos Sales onde várias barreiras transversais também se encontram avariadas e no trecho Coreaú Sobral.

As provas estão aí. Continuamos a ter que reduzir a velocidade e mesmo parar. O que era obstáculo elevado agora passa a ser obstáculo rebaixado.

E elas estão certas? Por certo que não... Mas... 

 Rodovia Coreaú Aprazível - Lombadas danificadas
  Rodovia Coreaú Aprazível - Lombadas danificadas
 Rodovia Coreaú Aprazível - Lombadas danificadas



Vejamos o que diz a lei: Está lá, no parágrafo único do artigo noventa e quatro, capítulo VIII do código de transito brasileiro, que trata da engenharia de tráfego, operação, fiscalização e policiamento ostensivo de trânsito.

"É proibida a utilização das ondulações transversais e de sonorizadores como redutores de velocidade, salvo em casos especiais definidos pelo órgão ou entidade competente, nos padrões e critérios estabelecidos pelo CONTRAN."



Parece que o primeiro vândalo é o responsável pela via, pois se por um lado é necessário manter um trânsito seguro com velocidade reduzida em alguns locais, não se pode sacrificar o conforto e a segurança dos condutores fixando monstrengos que só aumenta os gastos financeiros do estado e mais cedo ou mais tarde o segundo vândalo vem e destroça tudo, permanecendo o problema tal como antes. Né mesmo?

E qual a solução mais viavel? No pensamento deste ignorante escriba mor sucupirano e considerando as tecnologias atuais várias medidas simples poderiam ser aplicadas com precisão, segurança para pedestres e condutores como um todo.

Vamos elaborar algumas indagações, tentar respondê-las para entendermos melhor a problemática e as soluções que nunca são postas em práticas pelos "sábios" que ocupam os suntuosos gabinetes.

Todos aqueles locais fotografados com os obstáculos avariados estão em trechos próximos à escolas e entradas de bairros onde ocorre embarque e desembarque de pedestres. E lógico que a região pede um transito com velocidade reduzida. Eu disse: R-E-D-U-Z-I-D-A!!!  

Mas um monstrengo destes não exige apenas a redução da velocidade de quem por alí passa. Exige-se que o condutor seja ele de que transporte for, pare literalmente seu equipamento. Se for durante o dia tudo bem. Mas se for a noite. Um bom alçapão armado à espera do condutor desavisado. É o estado criando armadilhas para o cidadão eleitor contribuinte (royalties para Helio Fernandes da Tribuna da Imprensa)

Se o objetivo é reduzir velocidade para dar segurança aos pedestres que alí transitam por que não um redutor eletrônico de velocidade. Não precisa parar, não causa desconforto aos condutores e passageiros, não danifica os veículos e cumpre fielmente sua função. REDUZIR VELOCIDADE.

Inclusive botando um pé mais adiante e sonhando com a possibilidade de uso de tanta tecnologia disponível já falei tantas vezes de como isso poderia ser útil no sistema de transporte e viário no mundo inteiro.

A eletronica embarcada nos veiculos em geral já dispensaria por se só toda a burocracia impressa em papel. Registros de licenciamento, pagamentos de impostos, habilidação de condutores, controle de velocidade e tudo mais que se imaginar poderia ser gerenciado via satélite e gps.

Um simples cartão com chip contendo todas as informações do veículo emitiria para uma central toda sua situação legal. Transitando sem licenciamento em dia, sem IPVA pago, com excesso de velocidade e por aí vai era só direcionar a viatura policial mais próxima fazer a apreensão e ponto final. Um mes depois disso tudo estaria todo mundo andando na linha. E nem precisava de monstrengos trnsversais nas rodovias.

Mas voltando às normas sobre obstáculos veja o que diz o contran:



Nenhum comentário:

Postar um comentário