Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Perdôe-me Pai, eu não sei o que estou escrevendo...

"-Está querendo ser a palmatória do mundo, profano fariseu!!! Só isso!" Dirá o mais intolerante dos estimados, idolatrados, e tantos outros ...ados leitores destas mal traçadas linhas... Explique-se melhor!

Pois bem: Tentá-lo-ei sem mais delongas se isso for possivel tão extenso é o assunto. Oração, fé e ações... Qual delas levas mais rápido eu diria de maneira expressa, ou melhor, "no stop" ao céu, à salvação ou seja lá aonde for o lugar que o amigo pretenda ir depois que for desta para melhor?

A oração!
Fora eu criado por minha santa vó postiça que desenhava o nome nos quinze de novembro d'outrora. Católica fervorosa, com mais virtudes que defeitos e rezadeira do rosário de Nossa Senhora diariamente. Eu tinha que acompanhar à revelia e de joelhos. Como se não bastasse, aos sábados ela cantava o ofício com passagens em latim o que elevava o tempo da oração em quase uma hora. Ufa!!! Aqueles cânticos repetidos mecanicamente além de me cansar corroíam meus dois neurônios. Um dia na hora do almoço eu provoquei. Não o almoço, mas o modo de pedir, e falei: 

"-Vó, quero água!!! -Vó, quero água!!! -Vó, quero água!!! -Vó, quero água!!! -Vó, quero água!!!"

Na quinta vez ela pacientemente me repreendeu: "-Basta pedir uma vez meu neto!!!"

Por respeito e naqueles tempos tínhamos que respeitar mesmo, me calei. Mas pensei com meus botões: "-Como pode? E reza cento e cinquenta Avé Maria e Santa Maria, quinze Pai Nosso." Se eu fosse Deus eu diria: -Reze uma vez apenas, pausadamente que eu prefiro assim." Mas não para por aí: Um dia indaguei de um grande amigo que estudara em colégio de frades o porquê das orações repetidas. Ele explicou que nos conventos a oração meditatória era para os de cultura elevada, enquanto aos ignorantes por não disporem de tempo para aprenderem a ler eram ensinados poucas rezas e exigidos que eles ficassem a repetir sempre... Era a maneira de mantê-los preso à "fé". Tá explicado então... Mas se passaram tanto tempo e mesmo tantos sabendo ler a coisa continua pior. Como se não bastasse a manutenção da oração mecânica, credos religiosos usando a mídia moderna estão apelando. Ouvi no rádio terço gravado com voz de trovão. Agora não se reza mais como antigamente. As orações de louvores à Santa Mãe de Jesus e nossa também fora substituída por frases pontuais. E é facim, facim... Basta um locutor ler a frase que o computador da emissora repete dez ou quantas vezes for preciso. Mas uma vez, minha fé que é apenas do tamanho de um grão de mostarda vai pras cucuias... E a manada segue o som das trombetas sem questionar...

A fé!
Outros credos falam que o homem não chegará a lugar algum, muito menos ao paraiso e à salvação se não for pela fé. Assim tá bom demais... Mercenários de todas as estirpes, políticos corruptos, ladroes e salafrários, criminoos que tiram a vida dos semelhantes e por aí vai se encantam com este pensar. É muito bom assim, senão vejamos: O sujeito passa a vida inteira praticando todos os tipos de desatino, contrariando a vontade de Deus e dos homens de bem e no finalzinho da vida pôe uma bíblia debaixo do braço, proclama aos quatro ventos que somente o Sr. Jesus é o caminho e a salvação, diz que a Ele entrega sua alma e ponto final. Vai diretim pro céu (da boca da onça é claro, na minha opinião)

Ações!
Ai o sujeito sem credo nenhum, nasce, cresce, estuda,  trabalha e raciocina. Questina injustiças, passa a vida a estender a mão aos seus irmãos caídos, divide sempre que pode o pouco de seu pão com o irmão de estomago vazio ou incapacitado de se prover, educa e esclarece sempre que pode o mais ignorante para que a luz do saber e do conhecimento rompa os obstáculos da sua ignorância e este se liberte das trevas da desinformação e morre.

Aí chegam os três na porta do céu mas só tem uma vaga e por que Deus é soberanamente bom, justo e misericordioso e tem que escolher um de seus filhos apenas diz:

"-Levante a mão aquele de vós que amou a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo!" (Marcos 12-28,31)

E agora? Entenderam ou vou ter que desenhar?



Tenho dito... E sempre!!!

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário