Vejam a velocidade com que os governos levam nosso suado dinheirim...

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

A crônica quase im'perfeita

Por medo errei em quase tudo tentando apenas acertar. E hoje justo em conversa com sábio amigo que carrega mais janeiros nas costa do que eu falamos bem pouquinho destes medos. -Uma esperança? -O medo... Que ele não me mate tão novo ainda. Se muitos resistiram, por que eu não? É bem verdade que as baterias da vitalidade já dão sinais de "low power". Uma coisa é certa. Pelo menos é o que dizem por aí sobre o medo: "Ou ele lhe mata ou faz com que voce se mate." Sái prá la coisa ruim...

Os erros, nenhum deles propositais, apenas consequências do estouvo de uma alma inquieta, muitos deles não podem ser reparados. E a angústia não pára. Como não pára as reflexões e a vontade de dar um "rewind time". Sem sucesso...

Pois bem:

-Não! Aquele estilete ali é para apontar lápis... A faca é para cortar pão... Nem pensar na substância química mil gatos... É letal!

A mente fervilha e sofre em seus malucos devaneios ora senil ora recheados de loucura...

-Não! Nem pense em avançar sobre a arma do vigilante que se distraiu e fazer uma besteira consigo... Isso não vai resolver os problemas... Só vai agravá-los...

-Poe tudo nas mãos de Deus, as dores, as decepções, os desenganos...  Tudo... Tudo mesmo se esclarecerá no tempo certo... Pode não ser agora. O que é mesmo uma vida no relógio da eternidade?

-Um segundo... 

-Pois então... Aguarde um segundo que tudo isso passa.. E quando passar as novas oportunidade surgirão. Isso se não deixares coisas por fazer...

-Resistir é preciso então?

-Sim...  É preciso sim... Resistir e não desorganizar as peças do quebra cabeça. Às vezes ele já está quase montado e mais uma jogada desastrosa só fará piorar a situação...

-Mas meus ídolos morreram todos jovens demais. Jesus, Lavosier...

-Calma aí meu jóvem: Jesus não morreu... Jesus fora assassinado e Lavosier... Bem lavosier... Ah... Você que tem um pouco das qualidade do químíco francês... Se cuide então...

-Mas, e  Rimbaud, Emily Brontë, Castro Alves?

-Estes dois últimos foram vítima de tuberculose, e Rimbaud talvez pela imprevidência. E por falar em imprevidência...

-Eu sei...

-Pois então... Pare de olhar no retrovisor e sofrer pelas frustações pretéritas... Marque o compasso e siga em frente! Com fé na abençoada bondade e misericórdia divina.  No final o quebra cabeça será montado e todas as peças ficarão no se devido lugar. Sob a proteção de Deus.

Que assim seja!

Nenhum comentário:

Postar um comentário